Helder Azevedo


Foto: Divulgação


Estudantes e educadores protestaram contra o fechamento do Colégio Estadual do Campo Rodolfo de Abreu, localizado em Caraguataí, distrito de Jussiape, na sexta-feira (1º).

A manifestação culminou em atos pacíficos na Câmara Municipal de Vereadores contra a não transferência dos estudantes para a sede. 

A manifestação busca conscientizar a comunidade sobre a importância da permanência dos estudantes no Colégio Estadual do Campo Rodolfo de Abreu.

A diretora da instituição, Jussimara Marques, afirmou que nenhum documento oficial ainda foi entregue em suas mãos. A diretora disse que o comunicado do encerramento das atividades da instituição foi feito no mesmo dia em que o colégio comemorou 72 anos de fundação. 

De acordo com Marques, o quantitativo de alunos do Colégio Estadual do Campo Rodolfo de Abreu se enquadra para a modalidade da Educação do Campo.

Os atos citaram o artigo 53 do Estatuto da Criança e do Adolescente, que diz que “é preciso assegurar o direito da escola no local onde estes sujeitos residem como sendo uma condição para maior acesso e permanência”. 

A lei 12.960/2014, que altera o Art. 28 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional normatiza o processo de não fechamento de escolas do Campo, afirmou a organização das manifestações.

“A luta por uma educação pública e de qualidade do campo é nossa luta diária e exige dedicação e apoio. Sabemos que é por meio de muita união que nossas conquistas se efetivam. Em defesa da garantia do direito à educação do Campo, pedimos o apoio da comunidade de Caraguataí; do governador da Bahia, Rui Costa; da Secretaria Estadual de Educação; do NTE 03; da Coordenação da Educação do Campo e das autoridades estaduais e municipais”, diz outro trecho do documento divulgado pelos educadores.

publicidade

publicidade