Helder Azevedo

Foto: Reprodução

A menos de uma semana para o retorno dos alunos do ensino médio da rede estadual às aulas semipresenciais, marcadas para a segunda-feira (26), em sistema híbrido, Jussiape registra aumento do número de infectados pelo novo coronavírus.

O boletim epidemiológico de Jussiape desta sexta-feira (23) registra um total de 12 casos ativos de Covid-19 e espera receber 18 resultados entre pessoas que fizeram a coleta para testagem e os que aguardam o diagnóstico. Ainda segundo o boletim, 3 pacientes estão em internamento hospitalar por causa da doença.

CASOS DE REINFECÇÃO

Jussiape registrou dois casos de reinfecção pelo novo coronavírus, informou a Vigilância Epidemiológica do município à Jussi Up. De acordo com o órgão, ambas ocorreram em 2021, uma registrada em janeiro e outra em julho.

O município chegou a 333 casos de infecção pelo novo coronavírus ao longo da pandemia com 312 curados.

O total de mortes em Jussiape é de nove, registradas entre janeiro e abril de 2021. Cinco delas de pacientes do Espinho, uma dos Olhos D’Água e duas da cidade. O primeiro óbito foi notificado no dia 27 de janeiro. O boletim do município consta oito mortes. A Secretaria de Saúde de Jussiape adotou critérios que divergem dos seguidos pela Jussi Up na contagem das vítimas na pandemia.

RETORNO ÀS AULAS SEMIPRESENCIAIS

A Secretaria Estadual da Educação definiu que as aulas retornarão semipresenciais no início da próxima semana em sistema híbrido. O mesmo ocorrerá para estudantes do ensino fundamental, no dia 9 de agosto. A decisão foi publicada na edição de terça-feira (20) no Diário Oficial do Estado.

O retorno está programado para ocorrer com as turmas divididas em duas com o intuito de seguir um protocolo estabelecido pela Secretaria de Educação que prevê a manutenção de 50% da capacidade das salas de aula.

O primeiro bloco será formado por alunos com nomes iniciados entre as letras ‘A’ e ‘I’, e o segundo, de ‘J’ a ‘Z’. Cada escola poderá ajustar a escala de acordo com a realidade das classes.

As unidades deverão programar as aulas de modo que, enquanto metade dos alunos participe das atividades presenciais, a outra parte desenvolva trabalhos remotos, mantendo a mesma carga horária e em dias alternados para cada turma.

A Secretaria determinou que os professores irão ministrar as aulas nas turmas e nos horários estabelecidos na programação e não modificarão os horários citados, exceto em caso da inclusão de sábados letivos, quando ocorrerão atividades presenciais e remotas de acordo com a escala.

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB) afirmou, no dia 14 de julho, após anúncio do governador Rui Costa sobre o retorno das aulas semipresenciais, que os professores não irão retornar às salas de aula na segunda-feira (26).

À Jussi Up, o coordenador da APLB-Jussiape, Dourival Caires, disse que a entidade entende que a maioria dos trabalhadores da educação ainda não estão totalmente imunizados. “Orientamos manter o trabalho remoto até que seja atingida a imunização diante do que preconiza seus fabricantes. Diante disto, observamos que ainda não estamos em um cenário que nos dê segurança. Entendemos que o ambiente escolar é diferente dos que já estão em funcionamento. É preciso esclarecer que estamos trabalhando de forma on-line”, afirmou o coordenador.

publicidade

publicidade