A fala do prefeito de Jussiape, Éder Jakes (PSD), sobre os professores da rede municipal de ensino, na sessão da sexta-feira (12), se revelou um descalabro.

Éder afirmou que o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) em Jussiape não acompanha o mesmo nível de gratificação salarial que os professores do município recebem e questionou ainda os educadores que se graduaram, e não transmitem o saber aos alunos em Jussiape.

O gestor provou desconhecimento no que diz respeito à educação e ao complexo sistema educacional do País, que exige cada vez mais dos professores.

Ao investir em uma sequência de falas desastrosas, Éder expôs o pensamento de muitos políticos acerca dos educadores. Essa interpretação descuidada leva a crer que a responsabilidade de todos os problemas atrelados à educação pertence apenas aos professores.

A crise que atinge a educação, no entanto, é estrutural. Os professores não podem ser vistos como únicos atores desse panorama, embora todas as personagens envolvidas na educação tenham responsabilidade.

PANDEMIA
Insistir na ideia de permanecer reunindo profissionais da educação em um ambiente que não é seguro é reforçar o aumento do risco de disseminação do vírus, haja vista os inúmeros casos de profissionais infectados circulando em unidades escolares.

O fato de o prefeito afirmar que professores frequentam feira livre, cultos religiosos e participaram de movimentos político-partidários, no período da campanha eleitoral em 2020, não encontra coerência ou respaldo em responsabilidade como gestor ao justificar sua decisão de aglomerar esses mesmos profissionais em um ambiente sem garantia de segurança.

Éder deve se atentar à urgência do momento e se preocupar em evitar maior número de infecções e mortes por Covid-19 em Jussiape.

publicidade

publicidade