publicidade

Foto: Will Assunção/JUP

ATUALIZADA

A APLB – Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia – núcleo de Jussiape repudiou, por meio de uma nota, a decisão de o prefeito de Jussiape, Éder Jakes (PSD), convocar os servidores da educação do município para se apresentarem nas suas respectivas unidades escolares a partir de segunda-feira (18).

Para o Sindicato, “tal ação coloca em iminente risco de contágio todos os servidores municipais da educação”. A entidade ainda diz que a publicação do decreto municipal, de 6 de janeiro de 2021, em que o prefeito decreta situação de calamidade pública no município em razão da pandemia contradiz a convocação desses servidores, se traduzindo em um ato “arbitrário” e “irresponsável”.

O sindicato também ressalta que a convocação do município contraria o decreto do Governo do Estado, que suspende aulas na rede pública e privada de ensino em toda a Bahia. A publicação vale até o dia 30 de janeiro.

Segundo o coordenador da entidade sindical núcleo de Jussiape, Dourival Caires, seria no mínimo sensato e plausível que o desenvolvimento de atividades para qual os servidores foram convocados fossem realizados por meio de plataformas digitais, evitando assim possíveis contaminações pelo vírus.

publicidade

publicidade