O, a ou lhe? Depende da regência. Lhe funciona como objeto indireto. Serve de complemento de um verbo transitivo indireto.

O e a têm a função de objeto direto. Completam o sentido de um verbo transitivo direto.

Como descobrir a condição do verbo? É fácil; veja:

Exemplo:
Paulo estuda a lição.

A gente estuda alguma coisa. Entre o estuda e o alguma coisa (a lição), não aparece preposição. Decifrada a charada. O verbo é transitivo direto. A lição, o objeto direto.

Substituindo o objeto direto pelo pronome, não há saída. Temos que recorrer ao pronome que funciona como objeto direto feminino (a): Paulo a estuda. Paulo estuda-a.

Mais exemplos:
O diretor lê o livro.

A gente lê alguma coisa. O quê? O livro (objeto direto): O diretor o lê.

A cartilha pode ajudar você a se defender.

A gente ajuda alguém. Quem? Você, objeto direto. Logo, a cartilha pode ajudá-lo. Ou ajudá-la.

Objeto indireto
Observe, agora, o caso do objeto indireto:

Obedeço a meu chefe imediato.

A gente obedece a alguém. Entre o verbo (obedece) e o complemento (chefe) existe a preposição a. O verbo é, pois, transitivo indireto. Chefe é o objeto indireto: Obedeço-lhe.

Outros exemplos:
Dei o prêmio ao candidato premiado.

A gente dá alguma coisa (objeto direto) a alguém (objeto indireto).
Substituindo o objeto direto: Dei-o ao candidato premiado.
Substituindo o objeto indireto: Dei-lhe o livro.

publicidade

publicidade