microconto

Pode parecer simples, mas não é. Escrever um bom microconto requer uma boa ideia, a habilidade de brincar com as palavras e um final que não deixe o leitor indiferente, lembra o blog Sweek.

Veja dicas dadas pelo Sweek de como escrever um bom microconto:

Uma boa ideia

Um microconto precisa nascer de uma ideia incrível. Pense em algo que você tenha vivido ou em alguma situação engraçada, por exemplo, “ou até mesmo em histórias fictícias que merecem ganhar um conto”, completa Will Assunção, professor de literatura. A realidade está cheia de microcontos. Assim que os seus sentidos forem aguçados, uma grande história pode nascer.

Brevidade
Um microconto pode ter entre 7 e 500 palavras. “No entanto, completa Assunção, por se tratar de um gênero literário novo, não há precisão na quantidade necessárias de palavras para determinada produção literária ser considerada um microconto”. Isso quer dizer que você precisa escolher suas palavras com cautela, criatividade e sabedoria.

Como toda história, um microconto também precisa apresentar começo, meio e fim. A diferença é que não há espaço para contar e descrever tudo, por isso não gaste seu tempo com detalhes sem importância. Mas cuidado: uma história curta não é um resumo. Pense cuidadosamente em qual parte você vai focar e deixe que o leitor entenda o que ficou no ar – uma forma de ajudá-lo é usar um título sugestivo, por exemplo. Lembre-se de que a essência do microconto está no imediatismo.

Precisão
Cada palavra é uma palavra a menos. Tente ser o mais preciso possível, de modo que cada palavra signifique exatamente o que você quer dizer e transmita o sentimento específico que você deseja passar. No entanto, tenha em mente de que a simplicidade é a chave; afinal, não se trata de escrever uma lista de palavras complexas. Além disso, evite envolver mais de três personagens.

Surpresa
O mais importante do microconto é o desfecho, que tem a função de surpreender ou emocionar o leitor. É fundamental saber como construir a história e ser original para obter aquilo que poucos conseguem em duas linhas: o inusitado. Uma tática é pensar primeiro no final para, em seguida, desenvolver o resto.

Originalidade
Em concursos que trazem um tema definido e que você precisa usar uma palavra específica, tenha ideias fora da caixa para evitar cair em clichês e acabar escrevendo mais do mesmo. A graça dos microcontos está justamente no fato de que não há tempo e espaço para se justificar, então deixe sua imaginação ganhar asas.

O que é um bom microconto?
Pense em um final inesperado.

A história deve deixar o leitor intrigado durante todo o tempo e revelar um final inusitado na última frase.

Seja criativo, autêntico e original.

Tente estar dois passos a frente do leitor e mantenha-se longe de clichês.

Um microconto não é um resumo da história completa.

Trabalhe bastante no desenvolvimento e no desfecho. Toda a ação deve ser contada, não precisa de uma introdução ou uma contextualização maior. Seja sucinto, mas completo.

Preste atenção na ortografia

Em tempos de internet e redes sociais, em que tudo acontece muito rápido, não é difícil passar um erro de digitação aqui e ali. Por isso, leia novamente com cuidado, veja se a história faz sentido, e se a concordância e a ortografia estão perfeitas.

publicidade

publicidade