A previsão é de que a Bahia atingirá o número máximo de contágios por dia pelo novo coronavírus no dia 21 de maio, mantidas as atuais medidas de restrições. A projeção de 4.920 casos por dia é de pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais, que criaram uma ferramenta para fazer simulações sobre a velocidade com que leitos gerais e de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) serão ocupados nas próximas semanas. A mesma ferramenta prevê que os leitos de UTI começarão a faltar no dia 8 de maio.

Os leitos de UTI estarão completamente ocupados na Bahia um dia antes da expectativa para o plano nacional. Já o número máximo de casos registrados em um único dia no país coincide com a data baiana, que é 21 de maio. Serão 59.496 positivos confirmados nesta data, conforme a projeção da UFMG.

De acordo com a Folha, a ferramenta considera o percentual de pessoas que têm apresentado sintomas que as levam a algum tipo de internação, a velocidade de propagação do vírus, a taxa de ocupação das UTIs antes do início da epidemia e o perfil ajustado, por estado, de idosos com 65 anos ou mais.

Caso confirmada a expectativa da projeção, os baianos vão ter que conviver durante 58 dias com déficit dos leitos de terapia intensiva – ou seja, com a demanda muito maior do que a disponibilidade de vagas. Os dados levam em consideração informações divulgadas pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia e também pelo Ministério da Saúde até a última quarta-feira (8), além de modelos matemáticos obtidos levando em consideração experiências de outros países como China e Itália. A projeção, no entanto, não contabiliza os leitos programados para a entrega nos próximos dias.

A ferramenta dos pesquisadores indica que no dia 12 de julho a pandemia do novo coronavírus terá atingido 7,14% da população baiana.

publicidade

publicidade