Header Ads

LightBlog

Metaplasmos

Metaplasmo, também designado por metaplasma por alguns autores, é o nome que se dá às alterações fonéticas que ocorrem em determinadas palavras ao longo da evolução de uma língua, o que ajuda a compreender a etimologia de muitas dessas palavras. O metaplasmo pode ocorrer pela adição, supressão ou modificação dos sons.

Metaplasmos por adição de sons
Prótese = acréscimo de fonema no início da palavra.

Exemplo: latim vulgar stella, scutu > português estrela, escudo.

Epêntese = acréscimo de fonema no interior da palavra.

Exemplo: latim vulgar stella, registu > português estrela, registro.

No português brasileiro contemporâneo, ocorre uma particularização da epêntese, chamada anaptixe, que consiste em se desfazer um encontro consonantal pela intercalação de vogal: pneu, advogado > p(i)neu ou p(e)neu, ad(i)vogado ou ad(e)vogado.

Paragoge = acréscimo de fonema no final da palavra.

Exemplo: latim ante > português antes.

Também ocorre nos casos de adaptação de estrangeirismos limitados posteriormente por consoante, como francês chic > português chique, inglês lunch > português lanche.

Metaplasmos por supressão de sons

Aférese - supressão de fonema no início da palavra.

Exemplo: latim vulgar acume > português gume. Observe-se que a aférese só ocorreu depois de outro metaplasmo, a sonorização, ter alterado o /k/ interno a /g/.

Síncope - supressão de fonema no meio da palavra.

Exemplo: latim vulgar malu, opera > português mau, obra (neste caso, ocorreu também sonorização, alterando o /p/ em /b/).

Apócope - supressão de fonema no fim da palavra.

Exemplo: latim mare > português mar.

Crase - fusão de duas vogais iguais, desde que interna à palavra.

Exemplo: português arcaico pee > português moderno ”.

Haplologia - entre duas sílabas de mesma estrutura e contíguas, consiste na supressão da menos saliente.

Exemplo: português medieval bondadoso > português moderno "bondoso".
No português brasileiro contemporâneo falado, há vários dialetos em que se observam haplologias em palavras fonológicas: dente de leite > /dendjileit/, perto de casa > /perdjikaza/.

Elisão (sinalefa) - fusão de vogais que limitam palavras adjacentes, tornando-as em um conjunto fonológico; verifica-se, por vezes, a atuação de metaplasmos secundários, como o deslocamento da sílaba tônica (q.v. Metaplasmos por transposição).

Exemplo: latim de ex de > português desde; português brasileiro contemporâneo falado … o tempo inteiro… > … o tempintero…

Metaplasmos por modificação de sons

Por transposição

Neste caso, a modificação é observada depois que um elemento fonético (segmental ou supra-segmental, como é o caso da posição tônica) é deslocado do lugar que ocupa originalmente na palavra.

Metátese - deslocamento interno à sílaba. 

Exemplo: latim pro > português por., semper > sempre, inter > entre

Hipértese - transposição de um fonema de uma sílaba para outra. 

Exemplo: latim capio > português caibo, primariu > primairo > primeiro, fenestra > feestra > fresta.

Hiperbibasmo - em grego, relacionado ao verbo hyperbibázo, que compreende o deslocamento de fonema ou de acento; nas línguas modernas, abrange apenas a transposição de elementos supra-segmentais, dividindo-se, portanto, em sístole e diástole:

Diástole - avanço do acento tônico. 

Exemplos: límite > limite, pônere > ponere, tênebra > tenebra.

Sístole - recuo do acento tônico. Exemplo: latim pantânu, eramus e idólu (paroxítonas) > português pântano, éramos e ídolo.

Por transformação

Apofonia: Mudança de timbre de uma vogal

Assimilação: 2 consoantes diferentes viram 2 iguais, por exemplo: rs - persona > pessoa, st - nostro > nosso, rs - persicu > pêssego.

Dissimilação: Ao contrário da Assimilação, consiste em estabelecer uma diferenciação entre dois fonemas iguais, por exemplo: liliu > lírio, memorare > membrar > lembrar, rotundu > rodondo > redondo.

Consonantização: Transformação em uma consoante de uma (semi)vogal: iam > , Iesus > Jesus, uita > vida, iactum > jeito

Vocalização: nocte > noite, regnu > reino, multu > muito

Nasalização: passagem de um fonema oral a nasal: nec > nem, bonu > bom

Desnasalização: luna > lũa > lua, bona > bõa > boa, ponere > põer > poer > pôr.

Monotongação: Transformação de um ditongo numa vogal simples

Ditongação: anu, ane, unt, adunt, anctu e one passam para ão.

Metafonia: Mudança de timbre duma vogal tónica por influência de outra

Palatização: tegula > telha, folia > folha, hodie > hoje, pluvia > chuva.

Sonorização: passa de surda para sonora. t > d, k > g, f > v, s > z, p > b. 

Exemplos: lupu > lobo, maritu > marido, populu > povo.

Desvozeamento

Apofonia - mudança de timbre de uma vogal por influência de outra (i,u).

Assimilação - transferência de um fonema igual ou semelhante a outro existente na mesma palavras.

Ex.: ipsu > isso.

Consonantização- transformação de uma consoante em uma (semi)vogal- nocte > noite.

Desnasalização - mudança de um som oral em nasal.

Ex.: lat. luna > port. Lua.

Metafonia - mudança de timbre de uma vogal tônica influenciada por outra.

Ex.: jogo > jogos

Monotongação - mudança de um ditongo em uma só vogal.

Ex.: lat. v. auricla > port. ant. oricla.

Nasalização - passagem de um fonema oral a nasal.

Palatalização - transformação de um ou mais fonemas na passagem de uma consoante surda a sonora.

Ex.: n(e,i) nh, lh j ch.

Sonorização - mudança de uma consoante surda (desvozeada) em sonora (vozeada).

Ex.: lat. acutu > port. agudo.