Header Ads

LightBlog

Idosos comemoram Dia Internacional da Pessoa Idosa em Jussiape

Foto: Will Assunção/JUP

O Dia Internacional da Pessoa Idosa, celebrado no dia 1º de outubro, foi comemorado pelos grupos Bem Viver e Viver Bem em um evento animado no Espaço Renascer, no centro da cidade, organizado pelo realizado Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e realizado pelo Serviço de Convivência e Fortalecimentos de Vínculos (SCFV) para pessoas idosas. O encontro serviu também para solenizar o aniversários do terceiro trimestre de 2019 do Serviço.

Estiveram presentes participantes dos grupos Bem Viver e Viver Bem; a coordenadora do Cras Hellen Silvina Lelis e equipe; a assistente social do Cras e técnica de referência do SCFV para pessoas idosas Maria de Fatima Azevedo e o facilitador Thiago Mello.

Até o ano de 2006, o Dia da Pessoa Idosa era celebrado no dia 27 de setembro, porém, em razão da criação do Estatuto do Idoso em 1º de outubro de 2003, esse dia foi transferido de acordo com a lei número 11.433, de 28 de dezembro de 2006.

A programação contou com uma palestra, que abordou o tema “A pessoa idosa e seus direitos”, feita por Maria de Fatima Rego Azevedo.

Na ocasião, os convidados receberam como lembrança um artesanato confeccionado pelos participantes do SCFV na Oficina de Artesanato. Para descontrair, uma seleção de sucessos da Jovem Guarda animou todos os presentes que tiveram direito a um grande bolo para completar as comemorações.

PALESTRA
Maria de Fatima Rego Azevedo apresentou o Estatuto do Idoso, que regula os direitos assegurados às pessoas com idade igual ou superior a 60 anos, detalhando o que está contido na Constituição Federal de 1988.

Diversos direitos já foram conquistados, no entanto, é sabido que muitas pessoas idosas ainda sofrem diante as violações destes direitos, são vítimas de negligência, abono, maus tratos, violência física, psicológica e financeira, dentre outras, e infelizmente as pesquisas apontam que os maiores violadores dos direitos dessa população é a própria família, aponta a assistente social.

“É necessário conhecermos o Estatuto do Idoso para protegermos nossos idosos, ele nos traz o conhecimento dos direitos fundamentais das pessoas idosas; das situações, ações indicativas de violações destes direitos; das políticas de atendimento; das medidas de proteção; dos crimes específicos e punições dos seus agressores; e do acesso à Justiça. É relevante compreendermos que a manutenção dos vínculos familiares fortalecidos proporcionam às pessoas idosas uma vida com dignidade, garantido os seus direitos elencados em leis”, assegura Azevedo.