Header Ads

LightBlog

Aeronaves e brigadistas combatem incêndio em área de proteção ambiental

Foto: Kal Comunicação

Um incêndio de grandes proporções atinge trechos da Serra das Almas desde a última terça-feira (29). Focos do fogo têm sido identificados pelos brigadistas, mas ainda permanecem ativos, apurou a Jussi Up.

De acordo com informações da Rádio Nova Rio de Contas FM 104,9, as chamas atingem parte do território de Rio de Contas, município que integra a região turística da Chapada Diamantina, na Bahia.

Da cidade é possível avistar as labaredas que consomem a Serra das Almas. Ainda segundo publicação da rádio, brigadistas atuam no combate ao incêndio. A equipe que atua no local recebeu reforços de aeronaves e do Corpo de Bombeiros.

Neste mês, incêndios atingiram uma Área de Proteção Ambiental (APA) da Serra do Barbado, que tem área total de 63.652 hectares e também ocupa parte de outros cinco municípios da Chapada Diamantina.

Na imagens produzidas por um fotógrafo da Rádio Nova Rio de Contas FM 104,9, é possível sentir o drama causado pelo incêndio, que consome a vegetação da Serra das Almas desde a última terça.



Mesmo com a ação ágil dos brigadistas, as chamas se espalharam rapidamente consumindo matas nativas e nascentes, informou a Nova Rio de Contas FM 104,9. Nesta quarta, o Corpo de Bombeiros de Lençóis e Vitória da Conquista atuaram na região para conter novos focos de incêndio.

De acordo com informações da rádio, além das matas, animais e flora, está em risco a nascente que é a principal fonte de água que abastece a cidade. O fogo já alcançou nascentes do Junco e Guduri, que ficam em uma área de proteção ambiental.

Graças a ação rápida dos combatentes, o fogo foi contido e não alcançou casas nas proximidades do local atingido, informou a rádio. Outra preocupação da equipe que combate o incêndio na área ambiental protegida são os macacos bugios que vivem na mata, que é utilizada para a soltura desses mesmos animais.

Ainda segundo a Rádio Nova Rio de Contas FM 104,9, uma abertura de uma investigação foi feita pelo Inema para apurar o que provocou o incêndio. As apurações preliminares levam a crer que o incêndio foi criminoso.

Moradores relatam ter ouvido explosões próximo à área atingida antes do incêndio ter iniciado, como possível evidência de exploração mineral. As equipes continuam atuando no combate ao fogo com apoio de órgãos municipais e empresários locais.