Foto: Will Assunção/JUP

Como mostrou um folião, nem só de folia é feito o Carnaval de Rio de Contas. Entre uma marchinha e outra, manifestantes aproveitaram para protestar e transmitir uma mensagem de respeito à cultura local.

O palco da manifestação foi o tradicional cortejo das baianas, que segue todos os anos rumo às escadarias da Igreja de Santana, muito conhecida também como a “igreja de pedra”, onde ocorre a lavagem de sua escadaria na segunda de carnaval.

Ostentando uma placa com os dizeres “UMA CIDADE SEM LEI!”, o folião recebeu com simpatia todos os curiosos que vinham ao seu encontro conhecer a sua aparição.

Segundo manifestantes, o carnaval de Rio de Contas deixou muito tempo de ser consagrado como o carnaval da cultura. Não existe seleção entre as atrações que se apresentam no palco principal da festa e muitas vezes não há harmonia entre os ‘dois carnavais’”, afirmou um folião à Jussi Up.

Foto: Will Assunção/JUP

Uma cidadã se manifestou argumentando que, apesar de não ser mais um carnaval com essência cultural, é um carnaval democrático. Existiu uma assembleia pública e a própria população local decidiu como seria explorado o carnaval da cidade, e este foi o escolhido.

CARNAVAL DE RIO DE CONTAS
O carnaval de Rio de Contas é um dos mais disputados do interior do Estado. Milhares de foliões lotam todos os anos o Centro Histórico da cidade eleita, em 2010, Cidade Baiana da Cultura. A cidade colonial se tornou famosa por explorar a prática de ecoturismo, oferecendo ao visitante seu rico legado patrimonial histórico e cultural.

publicidade

publicidade