Header Ads

LightBlog

Vírgula em orações com gerúndio

CARLOS ROCHA


Não se pode dizer que haja regras claras sobre a vírgula nesse contexto; antes se configuram tendências. Assim, o uso da vírgula com gerúndio depende da construção em que este se encontrar.

1. Se o gerúndio fizer parte de uma oração reduzida adverbial, põe-se geralmente uma vírgula para marcar a fronteira com a oração principal:

a) Dizendo isto, todos se levantaram.

b) O professor levantou-se, apoiando-se na bengala.

Em (a) e (b), o gerúndio é o núcleo de orações equivalentes a subordinadas adverbiais temporais como «quando disse isto» e «ao mesmo tempo que se apoiou na bengala» (ver Nova Gramática do Português Contemporâneo, de Celso Cunha e Lindley Cintra, págs. 610/611). Note-se que em (a) a oração precede a oração principal e tem sujeito próprio; neste caso, a vírgula torna-se obrigatória (Sá Nogueira, Guia Alfabético de Pontuação, Lisboa, Clássica Editora, 2.ª edição, pág. 38).

2. Como elemento circunstancial ou adjunto adverbial de modo de uma oração (cf. Sá Nogueira, op.cit.; Cunha e Cintra, op. cit, pág. 488), a construção de gerúndio pode não exigir vírgula:

(a) «Vivia sorrindo.»

(b) «Passou por mim parecendo distraído»
«Passou por mim, parecendo distraído.»

(c) «Chorou soluçando sobre a cabeça do cão» (Nova Gramática do Português Contemporâneo, de Celso Cunha e Lindley Cintra, pág. 488).

(d) «Arrastou-se penosamente, gatinhando na areia» (ibidem).

Em frases como (a)-(d), Sá Nogueira considera que o elemento circunstancial não pede vírgula, enquanto Cunha e Cintra apresentam exemplos com e sem vírgula. Cabe ainda sublinhar que estas construções de gerúndio se confundem com os casos de (a) e (b), já que também pode ser-lhes atribuído o estatuto de orações, sobretudo se parafrasearmos (b) e (d) respectivamente como «passou por mim e parecia distraído» e «arrastou-se penosamente ao mesmo tempo que gatinhava na areia».

Sendo assim, parece que a vírgula dependerá aqui da necessidade de dar relevo à construção de gerúndio, como em (b), ou de a separar de outro constituinte que tem também função adverbial, como «penosamente», em (d).

3. Nunca se põe vírgula, se o gerúndio for parte de uma locução verbal (auxiliar + verbo principal):

(e) «Estava arrastando os pés.»