Header Ads

LightBlog

Dona Lala viu a história passar


Eulália Luz Souza morreu, aos 99 anos, na manhã de quarta-feira (13), por volta das 6h, em sua residência em Jussiape, informou a família. A provável causa da morte foi senilidade, agravada por outros problemas de saúde. Nos últimos meses, ela já não mais conseguia se locomover sem ajuda de familiares.

Dona Lala (ou Lalinha), como era tratada carinhosamente pelos que a conheciam ou como eu ouvia sempre a minha avó Lilica, que também já falecera, a chamar, viu e viveu a história de Jussiape do século 20, mas ela foi além e alcançou também o século 21 com vitalidade e lucidez, privilégio de poucos.

Tia Lala, como eu a chamava quando menino, era de outra época, posso dizer. Ela foi testemunha ocular do tempo. Viu, aprendeu e, provavelmente, ensinou muita coisa a quem a cercou durante a vida. Presidente e membro do Apostolado da Oração por anos, Dona Lala era uma católica fervorosa, como pontuou alguém da família.

Por décadas, dona Lala comemorou o dia de Santo Antônio, o santo casamenteiro e um dos santos mais populares do catolicismo, chegando a ter sua fé reproduzida no programa “Globo Repórter”, da Globo, no começo dos anos 2000.

Doce, mãezona, chique, cheirosa e linda. Essas foram apenas algumas das palavras utilizadas para se referir a “rainha da vaidade”, como descreveu Sandra Assunção, sobrinha de dona Lala.

Para quem não sabe, Dona Lala fez história também no tradicional Carnaval de Jussiape, na década de 1950, quando foi corada rainha da festa momesca. Além de já ter participado do reisado no município.

O corpo de Eulália Luz Souza foi velado em sua residência na praça Rodrigo Alves Teixeira, no centro de Jussiape, e o sepultamento ocorreu na manhã desta quinta-feira (14), no Cemitério de Jussiape.