Header Ads

LightBlog

As características do gênero poesia


Massaud Moisés diz que, “por sua própria essência literária, a poesia e a prosa se aparentam numa série de aspectos. Destes (sic), o mais importante é aquêle (sic) que caracteriza a própria Literatura: expressão dos conteúdos da ficção, da imaginação, numa palavra, o subjetivismo. Na poesia, como acabamos de ver, o sujeito, o ‘eu’, volta-se para dentro de si, fazendo-se ao mesmo tempo espetáculo e espectador. A prosa, todavia, inverte completamente essa equação. Com efeito, a prosa é a expressão do ‘não eu’ do objeto. Por outras palavras: o sujeito que pensa e sente está agora dirigido para fora de si próprio, buscando seus núcleos de interesse na realidade exterior, que assim passa a gozar de autonomia em relação ao sujeito [...]”.

Bem, não é a rima, o metro, o ritmo ou a estrofe que garantem a distinção entre prosa e
poesia, pois há poemas sem rima ou divisão estrófica e com metro irregular. Mesmo assim, vale lembrar que há alguns critérios para defini-lo. Salvador D’Onófrio apresenta
dois deles:

a) a presença do verso: a palavra verso (do latim versus) tem o sentido de retorno, volta para trás, já o termo prosa, oriundo do latim prorsus, tem o significado de ir para a frente, avançar sem limites;

b) assim, enquanto a prosa constitui-se pela continuidade, um poema constitui-se pela segmentação de sua escrita: cada verso é um recorte no continuum do discurso, estabelecendo pausas fônicas, independentemente das pausas sintáticas;

c) o grau de credibilidade: a poesia pertence mais ao domínio da fantasia, e a prosa tende a ser crível ou verossímil, pois busca-se nela a aparência de verdade.

IMPORTANTE
Alguns pontos sobre o gênero poesia: compreende textos de forma concisa, introspectiva etc. apresenta e preocupa-se com a construção da conotação; é a expressão do eu lírico. Para alguns, o gênero poesia possui algumas características bastante evidentes:

a) a poesia associa-se a imagens e a linguagem metafóricas. Ela apresenta linguagem mais conscientemente escolhida do que a linguagem comum; com mais detalhes e esmero, permite possibilidades sugestivas e interpretativas;

b) a poesia é menos discursiva, com significados sugestivos sem esclarecimentos imediatos e completos. Explora metáforas abundantes e subjetivas da realidade;

c) o texto em poesia opta pela polivalência da metáfora, pelo uso quase completo da linguagem conotativa. Muitas vezes, busca aspectos da linguagem denotativa e objetiva, oferecendo equilíbrio entre as duas linguagens;

d) a poesia é conhecida pela utilização da métrica e da rima, com versos de comprimento variados.

Não podemos nos esquecer que a prosa poética é uma forma intermediária entre a poesia e a prosa, na qual as palavras são dispostas como se formassem um parágrafo em prosa, mas possui um acentuado ritmo de poesia.