Header Ads

LightBlog

A diferença entre meia noite e meia-noite

TALITA ABRANTES
COM INTERTÍTULOS DE WILL ASSUNÇÃO

Foto: Divulgação

Certamente você conhece um dos grandes gênios do Cinema: Woody Allen. Em 2011, foi lançada a sua obra Midnight in Paris (escrita, dirigida e atuada por esse diretor).

Durante a divulgação do filme, nas mais diversas mídias em Língua Portuguesa, ocorreu algo inusitado – a expressão meia noite, indicadora da hora, apareceu sem o uso do hífen. Licença poética? Não! Longe disso!

Na nossa Língua Portuguesa, uma das funções do polêmico hífen é tornar figurado o significado de um termo literal. Vamos à prática? Quando se lê a expressão ano novo, por exemplo, logo se imagina um ano literalmente novo; trezentos e sessenta e cinco novos dias. Sendo assim, a expressão meia noite, sem o uso de hífen, remete justamente à metade da noite.

Em contrapartida, aplicando a simples regra da justaposição de termos, a expressão meia-noite, que se relaciona à forma inglesa Midnight, remete à exata hora. À zero hora, portanto, à meia-noite. Concluindo: a publicidade, em Língua Portuguesa, da genial obra de Woody Allen, não poderia, pontualmente, ter esquecido o hífen.