Header Ads

LightBlog

No verão, Duas Ilhas se transforma em paraíso dos banhistas

Sistema Duas Ilhas Foto: Will Assunção/JUP

Na Chapada Diamantina, região central da Bahia, o verão costuma ser bastante chuvoso e por conta disso o Contas, um dos mais extensos rios do Estado, que corta vários municípios de uma importante região turísticas do país, se torna um atrativo irresistível. No mês de dezembro, o sistema Duas Ilhas em Jussiape se tornou uma das melhores opções para quem quer aproveitar o início do verão.

Nos últimos anos, mesmo com as cheias esporádicas, a vazão do sistema Duas Ilhas não permanece por mais de uma semana. Muitos atribuem à evasão do volume da água às bombas, que irrigam plantações de maracujá ao longo das margens do Contas. Outro fator que pode estar agravando a situação do rio é o assoreamento, já que, praticamente, não existe mais mata ciliar às margens do rio.



Embora a barragem seja ideal para quem deseja praticar esportes aquáticos, relaxar com a leitura de um livro, marcar um piquenique com os amigos, passear com a família, fotografar uma bela paisagem ou até mesmo aproveitar o pôr do sol, os visitantes têm encontrado lixo e até embalagens de agrotóxicos – o que oferece sério risco à saúde dos banhistas e de quem consome a água do local.

Acima da barragem, muitos banhistas optam pela profundidade e pelo grande volume de água concentrado pelo sistema. Há também quem prefira se deliciar com a queda d’água natural, entre os grandes lajedos, em uma das margens do rio.

O melhor horário para cair nas águas do Contas é logo no início da manhã, entre as 8h e 10h e, logo mais tarde, entre às 16h30 às 18h, quando o sol já está mais baixo e os frequentadores podem apreciar um pôr do sol ainda dentro d’água.

Quando a vazão é menor, as pedras formam piscinas naturais, próprias para crianças e famílias se deliciarem com o banho. Há quem aprecia saborear o calor do sol no fim de tarde nas próprias rochas que formam o ambiente.

Para os amantes da fotografia, o Contas é o lugar perfeito para a prática desta arte, já que o ambiente propicia uma deslumbrante vista da natureza e do próprio poder do homem sobre o meio ambiente. Quem decidir relaxar com a leitura de um livro em um lugar sossegado, ou apreciar a calmaria do fim da tarde, a indicação é chegar às 17h.

Mesmo sem pancadas de chuva pela região já no fim de 2018, a vazão do Rio das Contas não deve permanecer por muito tempo. Ainda neste mês, um dos principais cartões postais da cidade aumentou drasticamente a sua vazão, em consequências dos temporais que caíram na região.