Header Ads

LightBlog

Coesão e coerência


A partir dos seguintes pressupostos propostos pela linguística na gramática:

a) Fonética: como estudo dos sons da fala ou dos sons possíveis de serem produzidos pelo aparelho fonador e utilizados em algum sistema linguístico.

b) Fonologia: utiliza-se dos dados da fonética na busca da compreensão do sistema
fonológico de uma língua particular, ou seja, quais os sons da fala que exercem uma função naquela língua específica, quais os que não exercem função específica na mesma língua, e quais as regras de combinação desses sons para formarem as unidades maiores. Estuda, portanto, os sons da língua.

c) Morfologia: como estudo das menores partes significativas das línguas ou, ainda, o
estudo dos menores signos linguísticos, os morfemas, bem como o estudo de suas regras de combinação da formação dos vocábulos, constituindo assim o sistema morfológico de uma língua.

d) Sintaxe: como estudo das regras de combinação dos elementos linguísticos na constituição de unidades maiores, como as frases.

e) Semântica: como estudo das significações, dos sentidos veiculados pela linguagem.

A fonética descreve os sons da fala, todos os sons da fala possíveis de serem produzidos pelo aparelho fonador do ser humano e usados em uma língua natural. A fonética é uma ciência descritiva, portanto.

A fonologia interpreta os sons da língua e explica o valor que os sons da fala adquirem em cada sistema fonológico particular – em cada sistema linguístico (língua). A fonologia é uma ciência explicativa, interpretativa, diz Cagliari, estudioso do assunto.

A coesão
O estabelecimento de coesão se refere aos caminhos pelos quais os componentes da superfície do texto e das palavras (atuais) com os quais tomamos contato são conectados entre si. De acordo com as regras gramaticais, os elementos da superfície têm uma relação de dependência entre si para melhor codificar os sentidos fora do texto, visando a incluir dentro da noção de coesão o que não está explícito, mas que se pode subentender; o que é apresentado apenas subliminarmente e que se supõe.

A ciência de textos pode explicar a ambiguidade como uma das possibilidades da superfície do texto e também pode nos auxiliar a desfazer, sem dificuldade, as ambiguidades.

A superfície do texto não é decisiva para o entendimento do mesmo, porém, a interação entre a coesão e os outros padrões (fatores) de textualidade é necessária para que a comunicação seja eficiente.

A título de exemplificação de “quebra” da coesão na superfície do texto – o que interfere na coerência (padrão ou fator que estudaremos após tratarmos do fator coesão).

A coerência
A coerência se refere aos caminhos pelos quais os elementos do “universo” textual e a configuração dos conceitos e relações subentendidos no texto fazem sentido.

Um conceito é definido como uma configuração de conhecimento (cognitivo) à qual podemos recorrer em nossa mente ou que podemos ativar com alguma consistência. Relações, por sua vez, são ligações entre conceitos que aparecem juntos no universo textual – cada ligação estabelece conexão com designações já utilizadas anteriormente e que são reutilizadas e atualizadas, formando um encadeamento de relações.

Frequentemente, as relações não são explicitadas na superfície do texto, sendo necessário, então, utilizarmos elementos extratextuais como o contexto e a linguagem não verbal (ilustrações, gestos etc.), por exemplo, para conseguirmos atribuir sentido lógico ao texto. A coesão e a coerência estão centradas nas noções do texto, designando operações direcionadas para o material do texto. Cabe ao leitor, porém, perceber e, por vezes, construir sentido lógico (coerente) para o texto.

A fim de tornar mais claro para você o que acabamos de apresentar, reproduzimos abaixo um texto em que as palavras aparecem fora da posição em que deveriam estar para podemos considerar o texto coerente.

Subi a porta e fechei a escada.
Tirei minhas orações e recitei meus sapatos.
Desliguei a cama e deitei-me na luz
Tudo porque
Ele me deu um beijo de boa noite...
(Anônimo)

O fato de você deter uma série de informações além das apresentadas no texto permite a você não apenas perceber que as palavras estão em posições incorretas (considerando-se os padrões do que seria coerente no universo em que nos encontramos), como também recoloca-las na posição adequada para que o texto tenha sentido (coerência).