Header Ads

LightBlog

Prefeito e estudantes protestam contra fechamento de colégio em Caraguataí

Foto: Divulgação

Estudantes, professores, profissionais da educação, políticos e populares protestaram contra a desativação do Colégio Estadual Rodolfo de Abreu, em Caraguataí, distrito de Jussiape, na tarde desta sexta-feira (9). Na manhã desta sexta, a diretora da instituição esteve na Câmara em busca de apoio dos vereadores.

O prefeito de Jussiape Eder Jakes (PP) participou da manifestação, segurando um cartaz em que expressava apoio ao colégio, ao lado da diretora da instituição de ensino Jussimara Marques Pereira e de estudantes da rede pública de ensino.

Durante a manifestação, que percorreu as ruas do distrito, cartazes e faixas foram exibidos com mensagens que reforçaram a importância que o Rodolfo de Abreu exerce na educação e no futuro da população local.

A unidade escolar, que atualmente possui cerca de 200 alunos matriculados, corre o risco de ser fechada no próximo ano. Apesar de não haver uma previsão exata estabelecida pela Secretaria de Educação do Estado para a desativação do colégio, a diretora da instituição não descartar que isso aconteça em 2019.

De acordo com a diretora do Rodolfo de Abreu, o colégio foi informado pela Secretaria de Educação do Estado da Bahia, por meio do Núcleo Territorial de Educação (NTE 3), que a unidade escolar poderá ser desativada pelo quantitativo de alunos.

“Repudiamos essa decisão da Secretaria. Não houve em nenhum momento uma reunião com a comunidade escolar para que a gente pudesse propor soluções. A decisão foi totalmente arbitrária”, disse Jussimara Pereira em pronunciamento na Câmara de Vereadores de Jussiape na manhã desta sexta.

Jussimara Pereira explicou à Jussi Up que a perda de alunos começou a partir de 2017, quando o município agregou o 6º ano. “O nosso pedido à Secretaria de Educação do Estado da Bahia é que estude a possibilidade do ensino fundamental 2 permanecer em nossa escola, já que temos um espaço físico excelente”, disse.

No entanto, a diretora pontua que “a Secretaria quer o bloqueio do fundamental, e ainda que a nossa escola se torne anexo e com possibilidade de EMITec”, esclarece.

O Ensino Médio com Intermediação Tecnológica (EMITec) é um programa da Secretaria de Educação do Estado da Bahia, que faz uso de uma rede de serviços de comunicação multimídia que integra dados, voz e imagem, que tem como objetivo ser uma alternativa pedagógica para atender a jovens e adultos que, em tese e prioritariamente, moram em localidades distantes ou de difícil acesso em relação a centros educacionais onde não há oferta do ensino médio na Bahia.

“Mas não queremos perder a nossa história, a nossa independência. Por isso pedimos o fortalecimento através de cursos técnicos”, explicitou Jussimara Pereira à Jussi Up, que, na visão na diretora, esses cursos poderiam contribuir com a economia voltada para o turismo e agricultura. Para a diretora, os cursos técnicos também atenderiam aos alunos do ensino médio que não têm possibilidade de saírem para outras cidades”.

À Jussi Up, Jussimara Pereira explicou que a Secretaria de Educação do Estado da Bahia ainda pode bloquear o 7º ano e, a partir de então, acarretar uma perda gradativa de séries de determinado nível de ensino.

“No ano passado, lutei para que o fundamental continuasse no Colégio, a pedido dos pais e alunos, mas o nosso pedido foi negado. A partir daí fomos enfraquecendo em número de estudantes. É por isso que peço o fortalecimento de outros cursos para a escola, já que temos o curso da EJA no noturno e seria uma possibilidade dos alunos continuarem seus estudos. Agora a Secretaria de Educação também tem que considerar que somos uma escola do distrito e que não se pode comparar ao número de alunos das escolas das sedes”, pontuou à Jussi Up.

Caso a unidade escolar seja desativada, a Secretaria de Educação da Bahia poderá passar a disponibilizar videoaulas e o Colégio Rodolfo de Abreu passará a abrigar um anexo do Colégio Estadual Horácio de Matos, segundo cogitou Jussimara Pereira.

Ainda de acordo com a diretora, cerca de 200 escolas na Bahia estão em situação similar ao Colégio Rodolfo de Abreu e poderão ser fechadas.

De acordo com Jussimara Pereira, o Colégio Estadual Rodolfo de Abreu está entre as três escolas da Bahia com o melhor desempenho no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). “Ficamos entre as três escolas da Bahia com o melhor Ideb, acima da média nacional e estadual”, atestou.

“O Governo do Estado quer enxugar despesas e superlotar salas de aula. Não é à toa que o nosso Estado apresentou o pior ensino médio do País”, completou.

“Somos a favor de uma escola de qualidade, e para nós educadores o qualitativo está sempre acima do quantitativo. Somos uma escola de pequeno porte, mas que é sinônimo de educação, esforço, compromisso e união”, pontuou.


“Temos 68 anos de história. Temos excelentes profissionais e muitos alunos que estudaram em nosso colégio. Hoje são médicos, dentistas, nutricionistas, enfermeiros, engenheiros, psicólogos, arquitetos, fisioterapeutas, profissionais de Educação Física, pedagogos, licenciados em História, Matemática, Letras, Biologia, contadores, sociólogos e muito mais”, assegurou.

Neste domingo, um abaixo-assinado online contra o fechamento do Rodolfo Abreu reúne mais de mil assinaturas.