Header Ads

LightBlog

Insatisfeitos, políticos aumentam cerco contra Embasa

Foto: Will Assunção/JUP

Quem pensa que é apenas em Jussiape que a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) tem causado dissabores, se engana. O vereador do município de Livramento de Nossa Senhora, João Batista dos Santos (PTB), estendeu apoio ao prefeito de Brumado, Eduardo Vasconcelos (PSB), que não esconde a sua insatisfação com a concessionária, segundo publicou o site Achei Sudoeste.

“A Embasa é uma empresa que não atende às carências da nossa comunidade”, disse o parlamentar ao Achei Sudoeste. De acordo com o site, o prefeito de Brumado tentou criar um órgão para fiscalizar a Embasa, porém o projeto foi reprovado pela Câmara de Vereadores, tendo à época como líder da oposição o vereador Édio Pereira (PCdoB), atualmente vice-prefeito do município.

Em entrevista recente ao Achei Sudoeste, Eduardo Vasconcelos expressou vontade de que os serviços de tratamento de água fossem privatizados ou municipalizados. “Quero a Embasa fora de Brumado”, disse o prefeito, criticando a falta de esgotamento sanitário na cidade e a falta de água canalizada nas comunidades rurais.

Em Jussiape, a empresa coleciona desagrados e, atualmente, enfrenta descontentamento no Legislativo, liderado pela oposição. No entanto, o impasse entre representantes municipais e a concessionária, que muitas vezes acaba sendo um tanto controverso, pode estar longe de chegar ao fim. Com o contrato previsto para vencer em 2019, o município deverá decidir se a Embasa continuará prestando serviço à população ou se outro modelo de gestão da água será adotado.

O vereador José Roberto (MDB) já se manifestou contrário à gestão da Embasa. Entretanto, o vereador Edilando Brandão (MDB) tem dado o tom à batalha contra a concessionária ao sugerir uma diminuição do tempo de concessão dos serviços à Embasa, caso seja renovado o contrato. O emedebista acredita que desse modo haveria mais garantias da concessionária prestar melhores serviços à população.

Brandão disse também que a concessionária tem cobrado uma “taxa caríssima” no município e não considera a Embasa uma empresa séria. “Usufrui o que é da gente, e a gente paga caríssimo”, concluiu o emedebista.

Atualmente o município vive o drama da escassez de água. Após volume armazenado no sistema da Barragem Duas Ilhas, no Rio das Contas, em Jussiape, voltar cair, o município decretou situação de emergência por causa da seca.

A Defesa Civil Nacional reconheceu outros 146 municípios da Bahia que enfrentam dificuldades devido escassez de água. O reconhecimento federal tem vigência por 180 dias, contados a partir da publicação das portarias no Diário Oficial da União.

O saldo negativo ultrapassa um metro na barragem, que abastece o consumo humano do município. No local, é possível se deparar com as pedras que antes eram cobertas pelas águas caudalosas do Contas. No entanto, a Embasa não apresentou nenhum projeto de melhoria da estrutura do sistema que abastece o município.