Header Ads

LightBlog

‘Não aceito esse tipo de coisa’, diz Eder sobre cobrança de taxa por água em comunidades rurais

O prefeito Eder Jakes (PP) Foto: Will Assunção/JUP

Após série de denúncias de que uma taxa, no valor de R$ 50, seria cobrada de moradores de comunidades rurais de Jussiape para que a água fosse distribuída nesses locais durante fins de semana, o prefeito de Jussiape Eder Jakes (PP) se posicionou a respeito. “Eu não aceito esse tipo de coisa”, disse em seu pronunciamento na sessão da última sexta-feira (3).

Segundo denúncia, exposta pelo vereador da oposição Edilando Brandão (MDB), o valor era cobrado por alguns dos responsáveis por levar água a povoados do município sob a justificativa de que já havia passado do horário de trabalho dos funcionários.

O prefeito disse que a denúncia havia chegado até ele e, então, tomou as devidas providências. “Nós da Prefeitura iremos liberar os caminhões de água, mesmo que seja nos finais de semana, que não é horário de trabalho; mas aquele motorista que quiser trabalhar é a Prefeitura que fará a gratificação”, pontuou.

“Criou-se aqui uma cultura, no passado, de que o carro que chegasse à comunidade teria que dar uma gratificação”, explicou o gestor.

De acordo com Eder, foi assinado um acordo com a Defesa Civil do Estado, em Salvador, no valor de R$ 162 mil para que Jussiape pudesse alugar dois caminhões pipas para ficar a serviço da população.

Segundo o prefeito, o dinheiro, que seria destinado às ações de combate a escassez de água, “não entraria sequer na conta da Prefeitura”. No entanto, o gestor afirmou que o Governo do Estado não liberou o recurso.