Header Ads

LightBlog

Eder diz que orientou pai da criança, diagnosticada com epidermólise bolhosa, a procurar MP

O prefeito de Jussiape Eder Jakes (PP) Foto: Will Assunção/JUP



“Esses medicamentos já haviam sido comprados e liberados pela Prefeitura desde o ano passado”, disse Eder durante a volta aos trabalhos da Câmara na última sexta-feira (3). O prefeito informou ainda que o custo da receita da paciente – ao ser analisado pelo Executivo – pode atingir o valor de R$ 6.400 por mês.

O prefeito afirmou que não há um município pela região que distribui esses medicamentos da maneira como é feito em Jussiape. Ainda de acordo com o gestor, ele havia orientado o pai da criança portadora da doença a acionar o Ministério Público, já que, segundo o prefeito, deste modo, o município passaria a ter embasamento legal para adquirir esses medicamentos.

Na ocasião, o vereador José Roberto (MDB) comentou a decisão judicial e criticou a postura que, segundo o emedebista, o prefeito tem adotando – o que contrariaria, na opinião do vereador, o posicionamento de Eder durante campanha de 2016.

Ainda no discurso do emedebista, José Roberto afirmou que, baseado em uma conversa de caráter confidencial com a secretária de Saúde – que ele disse ter – a responsável pela pasta de Saúde do município teria admitido que não goza de autonomia, ficando, portanto, as decisões concentradas nas mãos da primeira-dama Hilda Rejane, e acredita que Simone Aguiar possui “muito amor ao dinheiro”, ao se referir ao salário de um secretário no município.

Em resposta ao vereador, o prefeito disse que “em nenhum momento há ingerência de prefeito ou primeira-dama sobre secretários”. No entanto, Eder disse que há sempre uma coordenação envolvendo os responsáveis pela pasta do município.