Header Ads

LightBlog

O que eu encontrei nos meus e-mails dos últimos 8 anos?

Foto: Will Assunção/JUP

The Clientele e Dostoievki entraram na lista dos “achados e perdidos”

E se por ocasião, em pleno ano de 2016, você descobrisse uma pasta com todos os seus e-mails enviados nos últimos oito anos? Mensagens para amigos e primos mais próximos, fotografias de momentos que se eternizaram, e que você sequer sabia que existiam. Conversas esquecidas no serviço de mensagens MSN, além de declarações a pessoas que acabaram se tornando especiais, de uma época em que eu não passava de um garoto recém-ingressado na universidade.

A suposição acima aconteceu comigo ao fazer uma faxina num dos cantos mais remotos da minha vida, meu correio eletrônico. Ainda é desconhecido para mim o motivo do e-mail do Hotmail ter armazenado todos estes arquivos em uma única pasta, mas foi o que descobri ao ver centenas e centenas de itens reunidos em um único local.

O achado me proporcionou uma verdadeira vigem no tempo. Eu pude acompanhar a própria evolução da minha vida em quase uma década, de quando deixei de ser adolescente e me tornei adulto. Por diversas vezes, cheguei a me achar ridículo ao ler como eu escrevia para alguns dos meus amigos e colegas da faculdade, mas também bateu uma imensa saudade do tempo em que a liberdade de andar na rua era algo que um jovem podia ter de mais precioso.

De tudo o que eu reli, ouvi e vi, alguns arquivos eu não podia acreditar ser verdade. Era imaturidade demais para alguém que hoje abomina o que fora encontrado ali. Mas pude ver também que algumas coisas nunca mudam, e que certas verdades são incontestáveis para mim. Listei em uma espécie de “achados e perdidos” de tudo o que mais me chamou a atenção no meu tesouro virtual.



1- Uma listinha repleta de comentários particulares de todas as pessoas com quem eu já havia beijado até aquele momento; o mais impressionante foi o fato um tanto cômico de como eu descrevia a situação com uma riqueza de detalhes;

2- Dezenas de fotografias que marcaram a minha vida: amigos, viagens, férias de verão, acampamentos, paqueras, amores e até fotografia de pés. Quem pode comigo?

3- Uma coleção de declarações sinceras e avassaladoras; eu sempre fui alguém que diz o que sente sem muitas papas na língua;

4- Uma list de músicas armazenadas em um canto do meu e-mail, já que eu acreditava, em pleno ano de 2007, que elas poderiam simplesmente serem extintas da internet. Um verdadeiro banco de dados musical;

5- Cartas. Acredite, eu sempre utilizei meu correio eletrônico para manter o hábito de escrever cartas às pessoas;

6- Trabalhos da faculdade esdrúxulos, que até eu mesmo teria vergonha de ler os dois primeiros parágrafos;

7- Conversas entre amigos do MSN salvas. Em uma delas eu falava sobre onde eu passaria as próximas férias de verão;

8- Uma imagem de Nick Valensi, guitarristas do The Strokes, aos vinte e poucos anos, para meu cabeleireiro fazer um corte no meu cabelo igual ao dele;

9- Uma lista com 30 coisas para se fazer antes de morrer: nela continha sexo com melhor amigo(a), uma tatuagem em qualquer parte do corpo, beijar um transeunte em NY e subir no palco alcoolizado para dançar uma música dos Stones;

10- Frases aleatórias ditas por Gandalf, personagem de Tolkien, na trilogia e no romance épico de O Senhor dos Anéis.