Header Ads

LightBlog

O livro mais antigo da língua portuguesa tem 528 anos


Clemente Sánchez de Vercial, um clérigo leonês que viveu entre o século 14 e o 15, escreveu várias obras religiosas e moralizantes. A primeira impressão portuguesa pôde ter ocorrido em Chaves, em 1488. O Sacramental, um dos livros mais lidos durante o século 15 e impresso em língua portuguesa e castelhana foi condenado pela Inquisição durante o século 16 e, consequentemente, queimado nas fogueiras.

O Sacramental de Clemente Sánchez de Vercial, obra pastoral redigida entre 1421 e 1425 em língua castelhana foi o livro mais impresso na Península Ibérica, desde a introdução da imprensa até meados do século 16.

A primeira edição portuguesa teria sido impressa no Distrito de Vila Real, em Portugal por volta de 1488, mas não existem provas concretas que suportem esta tese. O incunábulo de O Sacramental impresso em Chaves é considerado por alguns o primeiro livro em língua portuguesa impresso em Portugal.

Conhecem-se treze edições em castelhano, uma em catalão e quatro em português. Das edições em português, duas foram impressas no século 15 (Chaves, 1488 (?); e Braga (?), ca. 1494-1500 e duas no século 16 (Lisboa, 1502; e Braga, 1539).

O Sacramental é um depositário da forma como deve viver o homem medieval, tratando a alimentação, as relações familiares, as relações sociais, a relação com Deus, o trabalho, o descanso, a saúde, a doença e a sexualidade, o que faz dele um documento indispensável para o estudo da sociedade medieval portuguesa.

COM INFORMAÇÕES DE JOSÉ BARBOSA MACHADO