Header Ads

LightBlog

Com diagnóstico desesperançoso da conjuntura política, Edilando Brandão tece críticas ao governo Eder

Foto: Will Assunção/JUP

Na sessão antes do recesso parlamentar, na última sexta-feira (15), o vereador Edilando Brandão (MDB) fez um diagnóstico desesperançoso da conjuntura política do município e criticou o governo Eder em diversos pontos.

Brandão brincou ao dizer que está ficando de cabelos brancos devido às dificuldades inerentes ao mandato de um parlamentar – traduzidas por ele em uma série de agruras, e exemplo das cobranças e noites mal dormidas. O emedebista lembra ainda que o eleitor sempre espera ouvir um “sim”, como resposta aos seus anseios.

Edilando afirmou que não encerra o período legislativo “satisfeito, nem feliz”.

Ao criticar a gestão do prefeito Eder Jakes (PP), o vereador, que integra a banca da oposição, questionou o pouco que é investido na Casa de Saúde Ana Medrado Luz, único hospital do município. “Só pintar não resolve, precisamos equipá-la”, disse.

Edilando expôs em plenária uma queixa sobre a falta de remédio na Unidade Básica de Saúde Feliciano Assunção, que fica na sede do município, e aproveita para lembrar que “o meu prefeito é médico”. Brandão relembra ainda que, quando Eder se candidatou à Prefeitura de Jussiape, uma das bandeiras defendidas pelo médico era a saúde.

O emedebista critica Eder também por ter optado por continuar a atender no município como médico. “Ele deveria ser prefeito, e não médico. Você foi eleito para ser prefeito, não médico para atender aos outros como forma de campanha”.  E afirma que Eder atende no município para angariar votos para os seus candidatos a deputado.

O discurso do vereador Edilando Brandão foi endossado pela crítica da ausência de consciência política atualmente em Jussiape, pois, para Brandão, as pessoas não estão cobrando devidamente do prefeito. “Precisamos de um povo mais atuante”, pontuou.

“As pessoas cobram o vereador, mas não têm coragem de ir à Prefeitura”, declarou.

Como opositor ao governo Eder, Edilando fez uma rápida retrospectiva de agravos enfrentados por servidores municipais – professores, profissionais da saúde e garis – ao travar uma batalha com o Executivo envolvendo direitos trabalhistas.

Brandão disse que questões como essas têm acabado em pizza. “Estamos fechando mais um ano, e é por isso que eu digo que tudo é festa, acaba em nada, acaba em pizza”, pontuou.

“Ser oposição não quer dizer que eu sou inimigo, que eu quero tudo ruim; simplesmente a melhoria tem que acontecer”, certificou.

O emedebista pontuou a questão de Jussiape ter atualmente a sua economia baseada no agronegócio, e critica o governo Eder por não ter nomeado um novo responsável pela pasta, após o ex-secretário de Agricultura Antônio Carlos Luz ser exonerado.

A crítica do vereador Edilando Brandão se estende à mão de obra contratada de outros municípios e de materiais que não são comprados no comércio de Jussiape.

Ainda sobre a ausência do vice-prefeito Robson Alencar (PDT) em Jussiape, Edilando Brandão disse que “já basta termos um vice; um vice-prefeito, de vice, que é vice de Neto; ACM Neto. Que nós votamos em um vice que mora em Salvador. Votamos em um prefeito que mora em Livramento”.

O vereador ainda pediu ao prefeito que inaugure a quadra, que já foi concluída, na Avenida São José e que não esperasse os conterrâneos chegarem de São Paulo.

Brandão classificou os dois anos do governo Eder como péssimos. “Eu falo: governo de dois anos ruim. Péssimo”, fincou.