Header Ads

LightBlog

Qual o conceito de inferência em linguística?


1. Inferência do ponto de vista da linguística é quando os fatos de língua estão submetidos a condições de verdade, mas não se podem reduzir a uma descrição puramente lógica. É preciso ter em conta a situação empírica na qual os enunciados são produzidos e interpretados. Nesta medida, o ato de inferir não é um ato psicológico, mas uma forma de o interlocutor captar o sentido de uma enunciação de modo não literal. Para tal, coloca em cena dados constantes no enunciado, mas também dados retirados do contexto e da situação de enunciação.

Pressuposição
Inferência, a partir de um enunciado, de informação não explicitada, sendo que a relação entre o que se explicita e o que se pressupõe é sempre de natureza semântico-pragmática.

O marido da Ana perdeu o emprego.
Pressuposto: A Ana é casada.

Subentendido
Inferência exclusivamente retirada do contexto, através de um raciocínio mais ou menos espontâneo, determinado pelas leis do discurso (lei da informatividade, lei da exaustividade, lei da litotes).

Zé: – Vamos à praia?
Carlos: – Está vento.

Zé presume que Carlos é colaborante na interlocução e que a transgressão da sua resposta é feita para veicular um conteúdo implícito: Não, não vamos à praia.

Características do subentendido:

(i) a sua existência está associada a um contexto particular;
(ii) é decifrada graças a um cálculo efetuado pelo locutor;
(iii) o interlocutor pode sempre negá-lo e refugiar-se atrás do sentido literal.

(A) INFERÊNCIAS LÓGICAS
- dedutivas;
- indutivas;
- condicionais.

São baseadas, sobretudo, nas relações lógicas e submetidas aos valores-verdade na relação entre as proposições.

(B) INFERÊNCIAS ANALÓGICO-SEMÂNTICAS
- por identificação referencial;
- por generalização;
- por associações;
- por analogia;
- por composições ou decomposições.

São baseadas sempre nas palavras explícitas textuais e no conhecimento de itens lexicais e relações semânticas.

(C) INFERÊNCIAS PRAGMÁTICO-CULTURAIS
- conversacionais;
- experienciais;
- avaliativas;
- cognitivo-culturais.

São baseadas nos conhecimentos, experiências, crenças, ideologias e axiologias individuais.

As inferências lógicas ocorrem frequentemente em situações do dia a dia, quando chegamos a uma conclusão menos geral com base em enunciado mais geral.

a) A lei assegura a toda criança na faixa etária de 7 a 14 anos o direito de frequentar a escola. Maria tem 10 anos de idade. Portanto, Maria tem direito de frequentar a escola.

A inferência indutiva, por sua vez, parte do registro de fatos singulares ou menos gerais para chegar à conclusão.

Numa cidade, feitas as verificações em diversos bairros, constatou-se a existência de muitos focos de barbeiros, transmissores da doença de Chagas.

No caso da inferência condicional, é gerada de enunciado hipotético.

Se riscarmos um fósforo, em perfeitas condições, o fogo se acenderá.

As inferências analógico-semânticas são feitas por meio de palavras que remetem a outras no texto.

Carlos resolveu bater no cachorro. Ele fez isso à noite.

O pronome ele remete ao nome Carlos e o pronome isso, à ação de bater no cachorro.

Nós inferimos que tais pronomes se referem a itens da frase anterior. Podemos, também, fazer inferência por generalização, atribuindo propriedades, características ou qualidades comuns a partir de alguns casos observados. Por associações, a pessoa relaciona um fato a outro em uma série de acontecimentos.

João tomou Aspirina e curou-se da gripe persistente. Aspirina corta gripe persistente.

Nesse exemplo acima, encontramos uma associação provável. Outra inferência pode ocorrer por analogia, gerada com base em uma comparação em que a pessoa verifica uma série de formas e transfere as propriedades de um sistema para outro sistema.

Um médico realiza alguns experimentos com babuínos para determinar os efeitos de uma nova substância sobre o organismo humano. Conclui que a substância ministrada aos babuínos provoca o aparecimento de alguns efeitos secundários indesejáveis.

O leitor pode inferir que, sendo babuínos e humanos semelhantes do ponto de vista fisiológico, a nova substância acarretará o aparecimento, no homem, de efeitos secundários indesejáveis.

As inferências por composição ou decomposição são geradas das partes do discurso para a sua totalidade – composição – ou do todo para as partes (decomposição), como no exemplo:

A mãe vestiu o bebê. As roupas eram feitas de lã.

Inferimos que o termo roupas é igual a roupas com que a mãe vestiu o bebê, quando lemos vestiu. Roupas é representado como parte da decomposição vestiu.

Por fim, as inferências pragmático-culturais são as mais presentes na leitura de textos. Estão relacionadas com os conhecimentos pessoais, crenças e ideologia dos indivíduos. Entre essas inferências, há as inferências conversacionais, que ocorrem nas manifestações orais. A conversação está cercada de fatores extralinguísticos que interferem na geração de inferências pelo ouvinte.

As expressões da face, o olhar, a postura, o movimento das mãos, as entonações são exemplos de interferência extralinguística.

As inferências experienciais ocorrem com base nas experiências da pessoa. Quando leio ou ouço: A polícia está ali! A polícia não costuma estar no pátio da universidade e saio para ver. Crio uma expectativa sobre o motivo de a polícia estar no local. Do ponto de vista da minha experiência, eu tenho um esquema:

...polícia por perto – há alguma coisa a mais do que uma simples festa...
Polícia ------------ ordem ou segurança públicas

As inferências avaliativas são próprias do julgamento do leitor/ouvinte. O assunto nudez, por exemplo, pode ser avaliado de formas completamente diferentes, desde a total aceitação como uma manifestação de beleza (o nu artístico), até o extremo oposto, como escândalo, agressão à moral e aos bons costumes (o nu pornográfico).

As inferências cognitivo-culturais ocorrem pela interferência da cultura do indivíduo: sua linguagem, seus valores, seus costumes, instituições que cria, maneira de viver e de ver a vida. O quadro de inferência proposto por Marcuschi fundamenta-se, enfim, em um determinado contexto.