Header Ads

LightBlog

É amargo querer-te para mim - a carta

Eu sou diferente. Eu sou diferente e você sabe disso. Eu sou diferente de todas as pessoas que você já conheceu. E disso você teve certeza por um simples detalhe: eu ignoro o mundo para viver com as pessoas que escolho para levar comigo na vida.

A cada dia que passa é mais difícil encontrar alguém que me encante. Que me faça achar graça no mundo. E, por enquanto, você tem sido a única pessoa que restou em minha vida. Você já deve saber que eu ando pensando em deixar tudo para trás e recomeçar novamente, sem a chance de olhar sobre os ombros.

A natureza, os desafios mundo afora, a estranha sensação que toma meu corpo e me impulsiona a viver diferentes experiências, ultimamente, tem sido mais interessante do que tudo que me cerca aqui. Eu tenho pensado em escolher outro lugar para viver...

Tudo neste lugar – as pessoas, as músicas, as vozes, o andar do tempo – às vezes, parece não combinar muito comigo. Muitas vezes me sinto perdido...


Eu tenho pensado em nós também (ou apenas em você), e ninguém pode imaginar o que se passa pela minha cabeça quando isso acontece. Oscar Wilde me chamaria de egoísta pelo simples fato de não conseguir aceitar o seu jeito, a maneira de como você se porta e realmente é. É que eu sempre imagino você de uma forma minha, um tanto particular, de um jeito que eu queria que você fosse.

Um dia me peguei imaginando nós dois sorrindo depois de acordarmos, no fim de tarde de algum verão desta década. A verdade é que eu queria você só para mim. Então, quando me deparo com a realidade e embaraço com fatos que não sei lidar, tenho vontade de deixar tudo para trás. Algumas vezes eu imagino abandonar tudo mesmo.

Cheguei à conclusão de que, se fosse me dada a chance de desligar em mim o botão que ativa todas as minhas sentimentalidades, assim o faria. Nunca foi tão confuso e ridículo sofrer por amor. Eu, teoricamente, sou alguém bem resolvido enquanto a essas questões. Eu sou tão decidido a ponto de puxar a tomada ligada em mim se algo muito indesejado que possa me lançar novamente no fundo do poço ameaçar a acontecer.

Já percebeu que sempre sou eu quem tem que pensar por todos? Sinceramente, sinto que você não faz muito por nós. Espero que isso seja um grande equívoco meu e que você acredite em algo como a força do destino.

Eu nunca me contentei com o que não havia sonhado ou desejado para mim. E, talvez, seja por isso que não seja tão corriqueiro me encontrar por ai, como os outros que se contentaram com tão pouco.

Não é que eu não acredite em finais felizes. É que finais felizes para mim possam não ser mais terminar a vida ao lado de alguém com quem eu sempre sonhei. Já faz algum tempo que eu ando acreditando nessa hipótese! Mas, a verdade, é que eu nunca aceito.

Algumas vezes, à noite, antes de dormir ou mesmo quando acordo, eu chego a pensar o que você acha de mim quando está só você e seus pensamentos. Eu tenho visto o mar no inverno debaixo de cobertores e lido por horas seguidas. Isso nunca fez tanto sentido quanto tem feito agora. Às vezes, me faz esquecer muitas coisas que me atormentam, e isso me traz um pouco de tranquilidade.

Eu ainda não estou certo de que te enviarei esta carta. Talvez, você nunca chegue a ler o que eu escrevi.