Header Ads

LightBlog

Características mais relevantes de linhas de estudo do texto e do discurso


Análise francesa do discurso
Estudos sobre o sujeito, a autoria, a interpretação e o sentido, o discurso e o acontecimento enunciativo-discursivo, a heterogeneidade discursiva, a noção de arquivo. Estudos com ênfase em discursos específicos: da imigração, do humor, da gramática, da mídia, político, jurídico, religioso, pedagógico etc. E ainda estudos sobre a realidade brasileira, língua nacional, identidade nacional, espaços públicos e urbanos, línguas indígenas etc.

Análise semiótica do discurso
Estudos de abordagem linguístico-discursiva: verbais, orais e escritos, aproximados dos discursos do cinema, da publicidade, da pintura, o plano da expressão dos textos na relação semissimbólica ou tensiva entre expressão e conteúdo. Estudos sobre a sintaxe e a semântica do discurso, sobre as estratégias do discurso (ambiguidade discursiva, argumentação, figurativização, aspectualização, relações entre enunciação e discurso). Estudos sobre o nível fundamental dos discursos, a partir da figuratividade e a tensividade no esquema profundo. Estudos sobre uma semiótica específica (discursos visuais, gustativos, poéticos, estéticos, da canção popular, da música, da pintura, do cinema), sobre traduções intersemióticas, estudos interdisciplinares – semiótica e psicanálise, semiótica e teoria das catástrofes, semiótica e estudos cognitivos, semiótica e análise da conversação, semiótica e retórica. Estudos de abordagem da construção do sentido pela perspectiva social e histórica: a canção popular brasileira, os discursos dos livros didáticos de história do Brasil, a história das ideias linguísticas no país, o discurso do vestibulando, o discurso separatista gaúcho, os discursos literários brasileiros, o discurso da crítica de arte no Brasil.

Análise crítica do discurso
Estudos sobre o discurso e a interação em contextos institucionais, as interações médico-paciente, terapeuta-paciente. Estudos que se voltam para questões de discurso e sexo, discurso jurídico, interação verbal e não verbal, discursos de autoajuda, multimodalidade discursiva, discurso e mudança social etc. Abordagens que relacionam aspectos linguísticos e extralinguísticos.

Estudos funcionalistas do discurso
Estudo da língua como um instrumento de comunicação (e não como objeto autônomo): estrutura submetida às pressões das situações comunicativas (analisa a estrutura gramatical, tendo como referência a situação comunicativa inteira), o propósito do ato de fala, seus participantes e seu contexto discursivo. O estudo da língua exige que se leve rigorosamente em conta a variedade das funções linguísticas e dos seus modos de realização no caso considerado. O estudo da gramática não pode proceder sem parâmetros, como cognição e comunicação, processamento mental, interação social e cultura, mudança e variação, aquisição e evolução. O que se põe sob análise, portanto, é a chamada competência comunicativa, considerando o propósito do evento da fala, seus participantes e o contexto discursivo. O sistema linguístico está intrinsecamente ligado ao sistema social, ao uso. A língua é um sistema para produzir significados.

AD norte-americana: linguística textual
Estudo dos fatores e critérios de textualidade: semântico-formais (coesão, coerência) e pragmático-discursivos (interação, polifonia, argumentação, aceitabilidade, intencionalidade, inferência, conhecimento de mundo e partilhado, cooperação, situacionalidade, contextualização, intertextualidade, interpretabilidade, relevância etc.). O texto é o objeto de análise e é considerado dentro de um funcionamento processual que envolve a construção dos sentidos articulada ao produtor, ao receptor e ao próprio texto, mas sem isolar ou dar prevalência a nenhum destes polos. O processamento cognitivo do texto tem grande relevância.

Análise da conversação
Estudos dos textos orais de perspectiva textual-interativa-conversacional, fazendo interface com estudos sociolinguísticos, interacionais, cognitivos, etnográficos, da comunicação e da etnometodologia. Estudos que relacionam fala e escrita, estudos do português falado, da organização textual-interativa da fala, sobre o poder na interação e dos procedimentos de construção dos discursos orais – estruturas paralelas, repetição, tópico, turnos, paráfrase, correção, hesitação, inserções, marcadores, rituais. Estudos ainda sobre linguagem, interação e sexo, interação no trabalho e em contextos institucionalizados, interação via computador, no discurso jurídico, na linguagem dos idosos etc.

Estudos diversos: literários, semiológicos, pragmáticos, semânticos
Estudos a partir das contribuições de Bakhtin: dialogismo, polifonia, intertextualidade, heterogeneidade discursiva, metalinguagem, paráfrase, ironia, humor, tanto no que diz respeito à linguística quanto à literatura. Estudos do discurso nas várias perspectivas pragmáticas, semânticas ou enunciativas (Benveniste, Jakobson e outros) e com materiais diversificados, como os provérbios, as fábulas, o discurso totalitário, o discurso jornalístico, a nação brasileira, a metáfora, o paratexto (prefácio), o texto publicitário, metáforas na TV. Estudos nos cursos de literatura sobre os discursos poéticos, estéticos ou literários (narrativa literária, discurso memorialista, biográfico, epistolar, ensaio, intertextualidade). Estudos na crítica genética, na semiologia, sobre o discurso feminino ou sobre a mulher na literatura, sobre leitura e literatura, sobre a formação de leitores, sobre o ensino da literatura, sobre música e literatura, sobre pintura, arquitetura ou artes visuais, em geral, e literatura, sobre literatura e jornalismo ou literatura e mídias, sobre o discurso da crítica, da teoria literária, das revistas culturais. Estudos semiológicos e semiolinguísticos do discurso.