Header Ads

LightBlog

Estratégias inteligentes para elaborar uma redação dissertativo-argumentativa


Veja abaixo algumas estratégias inteligentes para um bom texto dissertativo-argumentativo sob a perspectiva do processo sobre o que pode e o que não pode utilizar no momento de escrever a redação.

1. Tenha sempre uma boa CRÍTICA!
Deve-se saber criticar. Por isso, você tem de estar bem informado. Saber discutir fatos ocorridos no Senado é saber escolher entre o SIM e o NÃO – jamais fique no talvez, eu acho, pode ser, no meio de uma redação, pois você tem de ter OPINIÃO. Criticar não é apenas falar coisas ruins, mas saber abordar pontos positivos que acabam se tornando relevantes na abordagem feita.

2. Tenha sempre uma boa rede de informações
Para saber criticar, é preciso estar bem informado, e estar a par dos mais importantes acontecimentos do mundo. Tente assistir todos os dias aos telejornais de qualidade, que discutam sobre assuntos variados. Navegue em sites de notícias de credibilidade; compre revistas que comentem todo tipo de manchete; leia sempre que puder.

3. Escreva em português, não em grego ou javanês
COESÃO: claro que a crítica e a criatividade são os mais importantes na hora da apuração; porém, a gramática é essencial. Não adianta o indivíduo possuir uma boa crítica e ter boas opiniões; saber escrever corretamente é terminantemente fundamental no processo de elaboração do texto.

4. Saiba “juntar” as informações que você tem
Vamos supor que a redação esteja “pedindo” para você escrever um texto sobre a TV Digital. Então, você sabe que a tecnologia possui maior e melhor resolução em relação à TV comum. E também sabe que o preço de um conversor agora não sai por menos de R$ 700 reais. Ou seja, para você “inserir” isso numa redação, você teria que separar parágrafos falando desses pontos.

5. Cuidado com o plágio
NUNCA roube ideias e informações que você não tenha produzido. Caso você sinta a necessidade de citá-los em seus textos, saiba referenciá-los.

6. Mantenha-se bem informado
O bom redator é aquele que lê incansavelmente livros e textos de todo o tipo. Leia tudo (de bom) que você for capaz. Livros, revistas, jornais, folhetos, anúncios, enfim, leia TUDO, sobre assuntos variados. Ao ler, você acaba “pegando o jeito” do autor. Passa a escrever mais ou menos como ele, acredite. E a partir de então, você desenvolverá o seu próprio estilo com criatividade e perfeição.

Outra coisa que também é importante: ouça rádios (noticiários, digo), debates, podcasts, e tudo o que você achar que envolva informação de qualidade. A pessoa que dedica um tempo a notícias relevantes, acaba escrevendo tudo com mais rigor científico também, principalmente se o que ela estiver escrevendo for uma crítica. Pois, passa a criticar melhor e com mais formalidade.

7. Evite soluções mágicas ou intervenção esdrúxulas na conclusão
As soluções ou intervenções devem ser sempre pautadas na realidade prática em que se vive, levando sempre em conta o contexto. Não adianta oferecer uma solução absurda que não condiga com a realidade. Jamais se esqueça: a solução ou intervenção deve ser objetiva, assim como o modo que ela deverá ser executada.