Header Ads

LightBlog

‘Estamos bebendo bosta mesmo, gente’, alerta vereador após análise da água em Jussiape constar contaminação

O vereador José Roberto (MDB) Foto: Will Assunção/JUP

O enfrentamento polêmico entre o município e a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) está longe de chegar ao fim. Pelo menos é o que pode ser constatado após o resultado da análise feita pelo Estado divergir da Embasa.

Na sessão da última sexta-feira (7), o vereador José Roberto (MDB), abordou o discurso polemizado nas redes sociais do colega de oposição, o vereador Edilando Brandão (MDB), que optou por utilizar um termo popular durante a sua fala na plenária ao afirmar que a população estaria bebendo bosta.

“Estamos bebendo bosta mesmo, gente”, afirmou José Roberto, após uma análise da água, realizada pelo laboratório da Base Regional da Saúde de Brumado constar que há contaminação na água consumida pela população de Jussiape.

Uma análise da água, retirada diretamente do Rio das Contas, consumida pela população foi realizada pelo laboratório da Base Regional da Saúde de Brumado e constatou, através de um laudo enviado à Secretaria de Saúde de Jussiape, contaminação, o que resultou em uma classificação insatisfatória pelo próprio órgão, informou a secretária de Saúde de Jussiape Simone Aguiar.

A análise constatou, de acordo com a secretária de Saúde de Jussiape Simone Aguiar, coliformes totais. Já em relação à coloração da água, o resultado atingido foi de 70%, enquanto o considerado aceitável é de até 15%.

O emedebista ainda afirma que a comunidade, que paga caro pela água, deve reagir, e completa ao afirmar que “nós, vereadores, temos que fazer a nossa parte”.

José Roberto aproveitou a ocasião para solicitar uma reunião, no mesmo dia, no gabinete do presidente da Câmara de Vereadores de Jussiape, Jadiel Carvalho, com a presença de todos os vereadores e também do assessor jurídico da Casa, Leonardo Chaves, para discutir uma forma legal, que na prática seja uma solução viável.

Para a vereadora Vanusa Medrado (PRP), a Embasa “age de forma autoritária e até arrogante”, porque, segundo a vereadora, na reunião com um representante da concessionária, deu a entender que tem que ser tudo conforme determina a empresa.

Ao retomar o discurso, o José Roberto questionou sobre uma suposta análise feita em um laboratório em Jussiape, que, de acordo o vereador, desconhece a existência. “E, se existe, quem é o técnico responsável?”, indagou.

O vereador finaliza ao dizer que a Vigilância Sanitária acaba sendo omissa, porque não aciona os órgãos competentes.