Header Ads

LightBlog

Como usar o ‘donde’?


A contração da preposição de e do advérbio onde (donde) é utilizada vulgarmente quando se pretende indicar uma procedência, uma origem, uma causa, ou iniciar uma conclusão, como nos seguintes exemplos da Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira: Donde tanta desordem – donde tanta confusão no mundo? Sabeis donde?, António Vieira.

Também se usa donde para indagar sobre a proveniência: Uma carta que lhe dizia respeito! Donde viria?, Teixeira de Queirós, Ao Sol e à Chuva.

No Dicionário da Língua Portuguesa Novo Aurélio Século 21, registam-se exemplos em que donde indica a origem, a causa (Donde aquela magreza?), mas também a conclusão, como sinónimo de daí: É autor de categoria, donde a indicação de seu nome para o prémio literário.

A locução adverbial de onde indica uma procedência espacial, significando apenas de que lugar, do qual lugar, do lugar em que. Exemplos registados na enciclopédia acima referida: Que se daqui escapar, que lá diante/Vá cair de onde nunca se alevante, Luís de Camões, Os Lusíadas, I, 83; ...ninho preparado para a alegria, mas onde se agasalha a mágoa e de onde o homem deixa fugir as esperanças, António Austregésilo, Pequenos Males, p. 10; ...todos sentiam como se sente um perfume sem saber de onde ele vem.

Assim, a locução de onde é sinónima de donde quando se refere à origem espacial, sendo normalmente utilizada em frases afirmativas. Nesta acepção, a escolha de um ou outro termo decorre do estilo pessoal.

De onde é sempre separado quando faz parte das seguintes locuções adverbiais: de onde em onde, de onde a onde.