Header Ads

LightBlog

A estrutura detalhada da redação do Enem


Vamos aprender de forma detalhada a estrutura de uma redação dissertativo-argumentativa: saber, por exemplo, como iniciar o texto, ter bons argumentos e, por fim, elaborar uma boa conclusão de acordo com os critérios do Exame Nacional do Ensino Médio. No entanto, muitas vezes, é necessário abordar de forma profunda, o que muitos candidatos da prova se esquecem. Vamos entender os principais aspectos do texto dissertativo-argumentativo para redigirmos uma boa redação.

Estrutura
Sabemos que a estrutura basicamente é formada por introdução, desenvolvimento e conclusão. Alguns recomendam que uma boa redação deva ter até 2 ou 3 parágrafos de argumentação. Mas há muito mais por vir.

Para a o Enem, muitos argumentos e pouca profundidade não é sinal de uma boa redação, ou seja, 3 ou 4 argumentos não cabem em 30 linhas. Caso você tenha apenas 30 linhas para escrever, ao tentar elaborar 3 argumentos, o resultado será só um: superficialidade. Por isso, 2 argumentos, um parágrafo cada um, é o caminho.

Um parágrafo do texto dissertativo-argumentativo (vale tanto para o Enem, quanto para vestibular ou concurso público) deve ter 3 frases, cada uma com um objetivo específico. Se pensarmos num parágrafo, por exemplo, a estrutura é a seguinte:

INTRODUÇÃO
Contextualizar o tema e entender o processo sociológico e histórico é essencial;

A visão de um importante pensador sobre algo que possa ser relacionado ao tema da redação. Isto é, citar um filósofo, sociólogo ou cientista;

O seu argumento;

Vamos aos exemplos:
X pensador, XX especifica de quem se trata, XX teoria ou pensamento. XX sua posição concordando com o que foi posto anteriormente.

Veja que há apenas duas frases no parágrafo. A primeira expõe a teoria de um grande pensador, e, a segunda, deixa claro o meu posicionamento em relação à proposta.

A introdução pode vir com três frases. Entenda:

A introdução pode utilizar o conhecimento histórico para contextualizar um fenômeno atual. A segunda frase serve como uma espécie de ponte entre o passado e o presente: é a chamada técnica de transição. A terceira é o seu posicionamento.

ARGUMENTAÇÃO
É necessário aprender a criar bons argumentos. Mas também é preciso saber usar os mecanismos linguísticos de forma adequada para estabelecer a coesão textual, que é um critério de avaliação importantíssimo em qualquer tipo de texto, mas ainda mais na redação do Enem.

O argumento serve para defender sua tese, aquela que você apresentou na última frase da introdução. Em alguns casos haverá temas em que você deve posicionar-se a favor, contra, ou pesar ambos os lados. Nesse sentido, é perfeitamente aceitável que você desenvolva um argumento mostrando o lado positivo do problema, e outro mostrando o lado negativo – sempre seguindo a estrutura de parágrafo exposto acima.

O primeiro parágrafo fala dos pontos positivos, enquanto o segundo fala dos pontos negativos. Essa é uma estratégia que você pode e deve usar para elaborar uma boa redação.

PARÁGRAFO
A primeira frase é curta (máximo de 2 linhas) e simples. Serve para mostrar de forma geral qual o tema daquele parágrafo. Ela tem o nome técnico de tópico frasal.

A segunda frase é o coração do argumento. Aqui você vai convencer o leitor através de uma das estratégias de argumentação: exemplos concretos, estatísticas, argumento de autoridade etc. Você pode usar até 3 deles para dar concretude a este parte do parágrafo.

A terceira frase, finalmente, é uma espécie de conclusão do parágrafo. Você deve chegar a uma síntese a partir do que falou e estabelecer uma ligação com o que vai falar no próximo.

CONCLUSÃO (intervenção ou solução)
Posso começar com as expressões como Por fim ou Portanto? Pode, sim, mas cuidado com outras muito coloquiais como No fim das contas ou Depois de tudo que foi falado.

CONCRETUDE
Quanto à proposta em si, eu vejo muita gente escrevendo coisas como o governo deve criar leis, programas, campanhas etc. Não é proibido, mas lembre-se que para tirar nota máxima você deve criar algo original. Algo que realmente funcione no mundo real.

Você deve deixar claro quais os meios de se chegar a sua solução. Eu poderia dizer, por exemplo, que para solucionar a fome do mundo basta dar comida para quem não tem. É uma solução? Claro que sim, mas como fazer isso? Sua capacidade de pensar de maneira coerente também está sendo avaliada.

Conclusão
A primeira frase serve para sintetizar as ideias desenvolvidas anteriormente. Depois, aborda-se a solução sob vários aspectos: o papel do governo, da família e da escola, indicando claramente o que cada um deve fazer para auxiliar em sua resolução. Por fim, a citação de Nietzsche dá um toque final, demonstrando capacidade de relacionar conhecimentos de outras áreas com o tema em questão. E não se esqueça, este é apenas um dos caminhos possíveis.