Header Ads

LightBlog

ANÁLISE MORFOLÓGICA (35): verbos auxiliares


Os verbos auxiliares são aqueles que auxiliam na conjugação de outros verbos e por isso recebem esse nome. Eles se unem ao verbo principal na formação dos tempos compostos e das locuções verbais. Os principais verbos auxiliares no português são: ser, estar, ter e haver.

Classificação
Ao lado dos principais verbos auxiliares (ser, estar, ter, haver), os verbos ir e andar também são classificados como verbos auxiliares de tempo. Nesse caso, a flexão verbal somente ocorre com o verbo auxiliar, enquanto o verbo principal surge no particípio (-ado, -edo, -ido), infinito (-ar, -er, ir) ou gerúndio (-ando, -endo, -indo).

Exemplo: Iremos comendo enquanto eles não chegam.

Há também os verbos auxiliares modais que indicam desejo, intenção e possibilidade, por exemplo: querer, dever, poder, conseguir, pretender, chegar, tentar, ter de, haver de. Nesse caso, o verbo principal aparece no gerúndio (-ando, -endo, -indo) ou no infinitivo (-ar, -er, -ir).

Exemplo: Os alunos querem aprender matemática.

Além dessas classificações, temos também os verbos auxiliares acurativos, também chamados de aspectuais. Eles indicam ação, continuidade e repetição da ação verbal, acrescentando significado ao verbo principal. São eles: continuar, começar, costumar, ir, vir, voltar, tornar, andar, deixar, acabar. Nesse caso, o verbo principal surge no gerúndio (-ando, -endo, -indo) ou no infinitivo (-ar, -er, -ir).

Exemplo: Joel continua ouvindo a mesma música.

Formação dos Tempos Compostos
Os tempos compostos são formados por um verbo auxiliar e um verbo principal. Na formação dos tempos compostos, os verbos auxiliares mais utilizados são o ter e o haver.

Geralmente, o verbo principal surge no particípio (-ado, -edo, -ido), por exemplo:

Luís Felipe havia passado pela loja da mãe quando aconteceu o acidente.
Brida teria falado com ele antes se ela não tivesse um compromisso.