Header Ads

LightBlog

ANÁLISE MORFOLÓGICA (32.1): verbos transitivos (diretos e indiretos)


Os verbos transitivos são aqueles que necessitam de complemento para constituir o predicado porque não têm sentido completo.

Esses complementos podem ser seguidos ou não de preposição, de modo que os verbos transitivos são classificados em verbos transitivos diretos, verbos transitivos indiretos ou verbos transitivos diretos e indiretos.

Exemplos:
Rafael comprou pães.
A carta pertence à Leandra.

Vamos analisar:
Rafael comprou. Mas, afinal, o que Rafael comprou? Pães. O verbo precisou ser completado para fazer sentido. Assim, pães funciona como o seu complemento.

A carta pertence. A carta pertence a quem? à Leandra. Mais uma vez, o verbo precisa de um complemento para concluir a informação transmitida pelo verbo pertencer. À Leandra é esse complemento.

Verbos transitivos diretos
Os verbos transitivos diretos são aqueles que não exigem preposição obrigatória.

Exemplo: Marina ama xadrez.

Marina ama. Marina ama quem ou o quê? Xadrez. O verbo amar precisa de um complemento para concluir a informação transmitida. Xadrez é esse complemento. Uma vez que ele não vem seguido de preposição ele é chamado de transitivo direto.

Verbos transitivos indiretos
Os verbos transitivos indiretos são aqueles que exigem preposição.

Exemplo: Tomás gosta de lasanha.

Tomás gosta. Tomás gosta do quê ou de quem? de lasanha. É necessário completar a oração para que a mesma faça sentido. Sozinho, o verbo gostar não consegue transmitir completamente uma informação.

De lasanha preenche o que falta para que a oração faça sentido; é, assim, o complemento. Uma vez que esse complemento vem seguido de preposição ele é chamado de transitivo indireto.

Verbos transitivos diretos e indiretos (bitransitivos)
Os verbos transitivos diretos e indiretos são aqueles que exigem dois complementos, um dos quais sem e outro com preposição obrigatória.

Exemplo: Carlos ofereceu chocolates à Milena.

Carlos ofereceu. Carlos ofereceu o quê a quem? Temos aqui um verbo que necessita de dois complementos, afinal temos duas questões, até então, sem respostas.

Bem, Carlos ofereceu chocolates. Chocolates é um complemento sem preposição, logo, direto.

Continuando, Carlos ofereceu chocolates à Milena. À Milena é um complemento, por sua vez, com preposição, logo, indireto.

Assim, concluímos que na oração acima o verbo oferecer é um verbo transitivo direto e indireto.