Header Ads

LightBlog

ANÁLISE MORFOLÓGICA (13): números romanos


Os números romanos são indicações numéricas inventadas na época da Roma antiga. Como forma de facilitar as contas, os romanos desenvolveram um sistema de numeração, com as próprias letras do alfabeto. Os números romanos são combinações das letras maiúsculas I, V, X, L, C, D e M, no qual cada uma representa determinada quantidade.

O I corresponde ao número 1, V ao 5, X ao 10, L ao 50, C ao 100, D ao 500 e o M ao mil. Os romanos não conheciam a representação do zero e, por esse motivo, esse sistema de numeração não possui nenhuma letra que o represente.

Os números romanos são até hoje utilizados para indicar séculos, capítulos e páginas de livros, horas dos relógios, nomes dos papas e reis, dentre outros.

Regras de utilização dos Números Romanos
A letra I é utilizada somente antes do V e do X, por exemplo: IV = 4; IX = 9.

A letra X é utilizada somente antes do L e do C, por exemplo:XL = 40; XC = 90

A letra C é utilizada somente antes do D e do M, por exemplo, CD = 400; CM = 900

As letras I, X, C e M são agrupadas somente seguidas por três vezes, por exemplo: III = 3; XXX = 30.

Para representar números maiores que 4.000 é utilizado um traço acima das letras, o que significa a multiplicação do número por mil, por exemplo:
Letras iguais somam-se os valores, por exemplo: II = 2; XX = 20.

Duas letras diferentes com o menor antes do maior, subtraem-se os seus valores, por exemplo: IV = 4; IX = 9.

Duas letras diferentes com o maior antes do menor, somam-se os seus valores, por exemplo: VI = 6; XI = 11.

Se entre duas letras quaisquer existe outra menor, o valor desta pertencerá a letra seguinte a ela, por exemplo: XIX = 19; LIV = 54.