Header Ads

LightBlog

Qual a origem da expressão “a espada da Dâmocles”?


Quem se vislumbrou com as cinco temporadas da série inglesa Downton Abbey, sucesso de público (visto por mais de 120 milhões de pessoas), teve também o privilégio de conhecer a personagem vivida por Maggie Smith, a qual foi a voz agônica da aristocracia britânica se dissolvendo na voragem do século 20.

Lady Violet não sabe o que é um fim de semana. Para ela, ser derrotista é muito “classe média”. As sarcásticas frases de Lady Violet se popularizam entre os espectadores. Entre elas, está uma das minhas preferidas: “(...) prefiro sentir a lâmina da espada de Dâmocles”, que, aplicado ao contexto, apesar de esbanjar preconceitos, também reverbera sabedoria política e humana.

Para entendermos a origem da expressão, eu evoco a lenda da Espada de Dâmocles, originária da antiguidade clássica, mais especificamente da Grécia, há 2.400 anos. A metáfora expressa o perigo que se corre na busca do poder, que foi recolhida pelo escritor Ovidio, lembra Juan Arias, colunista do El País, que segue explicando que Dâmocles era membro da corte do rei Dionisio, um tirano sanguinário de Siracusa, na Sicília. Era um adulador e invejoso do rei, tanto que o monarca quis se vingar.

Ofereceu ao súdito o poder de ser rei por uma noite, com os luxos, prazeres e orgias, que podiam ser desfrutados na corte. Ébrio, aceitou. Quando estava no meio da glória que havia sonhado, seu sangue gelou ao ver pendendo sobre sua cabeça uma espada afiada, suspensa apenas por um fino fio de crina de cavalo. Assustado, fugiu, enquanto o rei lembrou-lhe: “Essa espada também pende todos os dias sobre a minha cabeça”.

É o perigo ao qual está exposto o poder, e o tributo pago por sua busca a qualquer preço. Muitos que alcançam este status esperam poder desfrutar da orgia de privilégios e enriquecimento dos imperadores da antiguidade. No entanto, no caso de Lady Violet, que disse preferir sentir a lâmina da espada de Dâmacles, nada mais é do que a preferência em não abdicar de certos privilégios inerentes a sua condição a sentir o quão tormentoso pode ser o outro lado.