Header Ads

LightBlog

Próclise, ênclise e mesóclise: quando devo utilizar?


Pois bem, aqui vão algumas regras para nos ajudar a sermos mais precisos no momento da escrita, quando surgem alguns questionamentos quanto ao emprego correto de certas expressões, entre elas o emprego dos pronomes oblíquos átonos: o, a, me, te, se, lhe.

A colocação correta desses pronomes em relação ao verbo faz parte da tríade denominada próclise (o pronome vem antes do verbo), mesóclise (vem no meio) e ênclise (vem depois do verbo). A princípio parece ser uma nomenclatura complicada, mas depois que as conhecermos, tudo se esclarece. Então, vamos lá!

A próclise ocorre mediante os seguintes casos:
- Palavras negativas: nunca, jamais, nada, ninguém etc.

- Conjunção subordinativa:
Ela ficou muito feliz quando a apresentei ao meu primo.
Mais exemplos: que, o qual, se, logo que etc.

- Numeral ou pronome indefinido:
Ambos se revoltaram com a situação.
Alguém lhe disse duras palavras.
Mais exemplos: tudo, ninguém, a minoria, poucos etc.

- Com os advérbios de maneira geral:
Aqui se cultiva a paz e a harmonia.
Talvez lhe traga a encomenda que pediu.
Não se preocupe, tudo vai dar certo.

- Com os pronomes substantivos:
Todos te ajudarão nesta importante tarefa.
Aquilo me deixou estarrecida.

- Com os pronomes relativos:
Os policiais estão à procura do rapaz que se evadiu do local.
O pátio é o lugar onde me sinto à vontade.
Mais exemplos: cujo, o qual, que, onde etc.

- Com as conjunções subordinativas:
Farei isso se me for útil.
É necessário que o leve à festa.

- Com a preposição seguida de gerúndio:
Em se tratando de saúde, toda cautela é pouco.

- Em frases exclamativas e interrogativas:
Quanto me custou ter que partir agora!
Quanto lhe devo por este pedido?

- Em frases optativas (que expressam desejos, previsões):
Que o futuro lhe traga sucesso.
Que Deus o abençoe.

Com verbo no gerúndio precedido de preposição em:
Em se tratando de previsões, qualquer afirmação otimista será arriscada.

Com verbo no infinitivo pessoal (flexionado ou não) precedido de preposição:
Vocês serão castigados por me faltarem ao respeito.

A mesóclise, embora não seja muito usual, somente ocorre com os verbos conjugados no futuro do presente e do pretérito.
Comemorar-se-ia o aniversário se todos estivessem presentes.
Planejar-se-ão todos os gastos referentes a este ano.

E, por último, a ênclise, que tem incidência nos seguintes casos:
- Em frase iniciada por verbo, desde que não esteja no futuro:
Vou dizer-lhe que estou muito feliz.
Pretendeu-se desvendar todo aquele mistério.

- Nas orações reduzidas de infinitivo:
Convém contar-lhe tudo sobre o acontecido.

- Nas orações reduzidas de gerúndio:
O diretor apareceu avisando-lhe sobre o início das avaliações.

- Nas frases imperativas afirmativas:
Senhor, atenda-me, por favor!

- Orações coordenadas sindéticas:
Foi à entrevista de emprego e mostrou-se confiante.

Locuções Verbais: mais de uma opção de colocação pronominal; veja:

1. Próclise e Mesóclise: verbo auxiliar + verbo principal no particípio:
Naquela ocasião, ele tinha-me confessado.
O acidente tê-lo-ia afetado a memória?

2. Próclise ou Ênclise: verbo pessoal (auxiliar ou não) + verbo infinitivo:
Precisamos-lhe convencer do contrário.
Precisamos convencer-lhe do contrário.

Quando houver a presença das conjunções e, mas, porém, todavia, contudo, logo e portanto não exigem necessariamente a próclise, exatamente porque são conjunções coordenativas, e não subordinativas. No entanto, quando se tem uma conjunção coordenativa (e não subordinativa), a colocação do pronome é optativa, em próclise ou em ênclise. Ou seja, pode-se fazer o uso indistinto de uma ou de outra colocação.