Header Ads

LightBlog

É em latim, sim: saiba o plural de ‘habeas corpus’



Vamos entender como é formado o plural de habeas corpus? Pois é, por se tratar de uma expressão latina, torna-se obrigatório o uso das aspas, negrito, itálico, sublinha ou grifo indicador, além de ficar proibida a utilização de acentos gráficos e de hífen, que não existiam no idioma original, pois o latim é considerado uma língua morta, mas não extinta.

No entanto, há autores, como José de Nicola e Ernani Terra, que afirmam que “deve ser sempre grafada com hífen”. Com a mesma estranheza deve ser recebido o registro do Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, da Academia Brasileira de Letras, órgão incumbido oficialmente de determinar a existência dos vocábulos em nosso idioma, além de sua grafia oficial, o qual, muito embora registre a expressão como pertencente ao idioma latino e a escreva sem acentos gráficos, apresenta seus termos unidos por hífen, ressalta José Maria da Costa.

Pela simples razão de que se trata de expressão latina e de que não havia hífen na língua originária, o melhor é seguir o ensino de Domingos Paschoal Cegalla, o qual, após observar que “não há consenso quanto ao uso do hífen nesta expressão latina”, realça que “preferível dispensá-lo”.

Acrescente-se que, nas palavras e expressões latinas, as vogais, mesmo no fim das palavras, hão de ser pronunciadas claramente, até para se evitarem confusões quanto à flexão das declinações; assim, diga-se ábeas, e não ábias, e córpus, e não corpos.

As mesmas observações valem para expressões similares, como habeas data. Para levar para o plural, em português, a mencionada expressão, basta pluralizar o artigo ou palavra que a ela se refere:

a) os habeas corpus;

b) habeas corpus preventivos. Pelo próprio significado da referida expressão (que tenhas o corpo), vê-se que não faria sentido pluralizar no vernáculo os termos da expressão (que tenhais corpos). Reafirme-se, portanto, o plural: os habeas corpus, e não os habeatis corpora.