Header Ads

LightBlog

É saudade ou saudades? Devo usar ciúme ou ciúmes?

Vamos direto ao ponto: as duas formas estão corretas. Não há qualquer erro em usar ciúme saudade, assim como também não há erro em usar ciúmes e saudades. E quem explica isso é o professor Rodrigo Maia.

Os tradicionalistas condenam a forma no plural com o argumento de que as palavras ciúme e saudade, por exemplo, passam uma ideia abstrata, ou seja, sem uma noção numérica. Para eles, o ideal é usar no singular: ciúme e saudade.

Para mostrar a todos que esse conservadorismo não se aplica ao português, o professor separou alguns exemplos de vocábulos que passam uma ideia abstrata, mas que são usados normalmente no plural.

Você sabia que o substantivo masculino plural parabéns, que você usa para felicitar uma pessoa em um dia ou momento especial, é originado da forma singular parabém? E o mesmo acontece com o substantivo pêsames, que você usa quando quer manifestar seu pesar por alguma situação infeliz. A origem é o singular pêsame.

A gente ainda pode citar as formas liberdade e felicidade. No discurso jurídico, por exemplo, aparecem em contratos as expressões: liberdades civis e liberdades pessoais

No entanto há estudiosos mais apegados ao tradicionalismo que defendem que termos no plural deveriam ser utilizados no singular, como ciúme e saudade. A título de exemplo, é quando ciúme, que denota um sentimento exacerbado de posse de algo ou alguma coisa, pessoa etc. Do mesmo jeito acontece com saudade.

De todo modo, o professor lembra que a expansão das formas ciúme, saudade, liberdade, felicidade e amor para ciúmes, saudades, liberdades, felicidades e amores é incontrolável. De acordo com a história de todas as línguas do mundo, é o uso que funda a norma; e não o contrário.

Então, o uso de ciúmes, saudades, liberdades, felicidades e amores estão de acordo com a norma culta da Língua Portuguesa.