Header Ads

LightBlog

Movida pela fé, mulher mantém tradição de montar presépio por 65 anos



Por mais de meio século, Francisca Rosa da Conceição, mais conhecida como Du, realiza um trabalho de fé e devoção em Jussiape, na Chapada Diamantina (BA), com a montagem do seu próprio presépio, que completa no dia 25 de dezembro de 2017, 65 anos de tradição.

Um dos maiores símbolo do Natal, o presépio não serve apenas para representar o nascimento de Jesus, mas de expressar a história de um povo e o contexto que ele está inserido. Na instalação da aposentada, podem ser notados diversos elementos do nordeste e da região onde mora, entre eles, o feijão, animais e cenas típicas do sertão. Além da presença do sincretismo religioso, uma característica marcante em determinadas comunidades de Jussiape.
A dona de casa Francisca Rosa, de 75 anos, diz que a construção do seu presépio é um trabalho de muita fé. Desde quando tinha nove anos, quando ainda morava em outra cidade do interior da Bahia, ela diz que sempre fazia a montagem do presépio com dedicação, uma tradição que se mantém viva até hoje, mas com muitas dificuldades. Francisca tem diabetes e com a idade avançada diz não conseguir mais buscar lenha no mato.

Apesar de lamentar por ser uma das poucas moradoras, se não a única, a seguir com essa tradição de armar o presépio com elementos da própria comunidade local, ela se orgulha de receber pessoas de diversos lugares, atraídas pela bela montagem feita com suas próprias mãos, para conhecer o seu presépio.

Em 2017, Francisca Rosa da Conceição resistiu a todos os empecilhos que a vida a impôs e montou o seu presépio que, mesmo singelo, revela uma riqueza cultural.

COMUNIDADE
É possível encontrar no bairro do Campo diversos moradores que mantém a tradição de armar presépio ou celebrar o Natal com uma montagem original de alguma representação artística, um trabalho movido pela fé e tradição.