Header Ads

LightBlog

Aprovação das contas de Bel pode enfraquecer Éder em futuro cenário eleitoral de 2020

O ex-prefeito Gilberto Freitas Foto: Will Assunção/JUP

O julgamento das contas de 2015 do governo do ex-prefeito Gilberto Freitas (PSC) deverá ocorrer antes do dia 5 de dezembro – início do recesso da Câmara de Vereadores de Jussiape. Na sessão da última sexta-feira (3), ficou decidido, após exigência do TCM, que cada vereador deverá declarar o seu voto de forma não secreta.

Em meio às expectativas para a votação, as constantes aparições públicas do ex-prefeito e a sua reaproximação com políticos e eleitores, em Jussiape, sugerem uma suposta candidatura para 2020. Nos bastidores, a informação de que Bel estaria recorrendo a aliados da política, entre eles vereadores e ex-gestores municipais, perde contornos de rumores e se fortalece após fontes confirmarem que é possível que um novo grupo esteja surgindo para as próximas eleições municipais.

Caso as contas do governo de Gilberto Freitas sejam aprovadas, um futuro cenário eleitoral pode emergir, tendo em vista a baixa popularidade do prefeito Éder Jakes (PMDB), que deverá apostar em uma reeleição ou indicar um candidato do seu partido para a disputa em 2020, e o surgimento de novos nomes para o pleito pela Prefeitura.

Gilberto Freitas precisa de 2/3 dos vereadores para derrubar o parecer emitido pelo TCM. O que significa que o ex-gestor precisa do voto de pelo menos 6 parlamentares. Caso a Câmara opte pela reprovação das contas de 2015, o ex-prefeito Bel se torna inelegível por oito anos. A decisão ainda cabe recurso.