Header Ads

LightBlog

Sobe para 14 o número de vítimas do ‘predador sexual’ Adson Muniz

Foto: Reprodução

Preso na última quarta-feira (11) por se passar por um agente federal para sequestrar, assaltar e estuprar uma mulher no Jardins, área nobre na zona oeste de São Paulo, o ex-vereador de Jussiape (BA), Adson Muniz Santos, 34, foi reconhecido por outras 14 mulheres, segundo informações da 1ª Delegacia de Defesa da Mulher, localizada no centro de São Paulo.

De acordo com a polícia, as vítimas teriam sofrido ataques semelhantes ao da última, na sexta-feira (6). A delegada Christine Nascimento Guedes Costa classificou o ex-vereador Adson Muniz como um “predador sexual”.

Adson Muniz foi eleito vereador de Jussiape, em 2012, pelo Partido Republicano Brasileiro (PRB) e se candidatou a deputado federal nas eleições de 2014, mas não foi eleito.

Com a descoberta da polícia de novas vítimas, sobe para 14 o total de mulheres abusadas pelo suplente de vereador pelo PRP.

Adson teve prisão temporária decretada pela Justiça e está encarcerado na 1ª Delegacia da Mulher, órgão responsável pela investigação.

Adson Muniz admitiu ser ele nas imagens gravadas pelas câmeras de segurança, mas negou ter estuprado as mulheres ou ter se passado por produtor de tevê.

Segundo a delegada, o ex-vereador Adson Muniz não tem residência fixa em São Paulo e estaria hospedado em um hotel. Ele foi preso próximo ao estádio do Pacaembu, na zona oeste.

Adson Muniz será indiciado por estupro, estelionato e falsidade ideológica. O advogado de Adson, Ricardo Salomão, alegou que o ex-vereador toma remédios controlados e que não se lembra dos ataques. “Vamos pegar o laudo médico com a família, que comprova o tratamento psiquiátrico”, disse o advogado. Ainda segundo a defesa de Adson, ele está aéreo e não fala nada com nada.