Header Ads

LightBlog

Após ser preso, Adson Muniz diz querer ser presidente para acabar com corrupção e mortes no país



Adson Muniz, 34, ex-vereador de Jussiape, foi preso nesta quarta-feira (11), acusado de ter assaltado e estuprado uma mulher após se passar por policial federal com um distintivo falsificado e portando uma arma para abordá-la no Jardins, na zona oeste de São Paulo.

A polícia não descarta que o ex-vereador tenha feito pelo menos mais quatro vítimas na capital paulista. Adson Muniz foi levado na tarde desta quarta-feira para a Delegacia da Mulher, na região Central de São Paulo, onde prestou depoimento.

Na saída da delegacia, Adson disse que “meu foco é ser candidato a presidente para acabar com a corrupção e que ninguém mate ninguém neste país”.

Adson Muniz disse ainda à imprensa que quando foi vereador em Jussiape, ele ajudou bastantes pessoas no município.

           Foto: Reprodução

O ex-vereador admitiu ser ele nas imagens gravadas por câmeras de segurança, mas negou ter estuprado as mulheres ou ter se passado por produtor de tevê.

O caso mobilizou reações em redes sociais e em grupos de WhatsApp. Fotos do ex-vereador de Jussiape ao lado de um carro falando ao celular foram compartilhadas.

Imagens do momento em que a mulher foi abordada também foram amplamente divulgadas nas redes sociais.

A conduta, segundo a polícia, será enquadrada como estupro – uma lei de 2009 ampliou a classificação desse crime, que até então abrangia essencialmente os casos com conjunção carnal.

Adson também será indiciado por estelionato e falsidade ideológica.

A Casa Santa Luzia disse que disponibilizou as gravações de câmeras de segurança para a polícia e que está auxiliando nas investigações.