Header Ads

LightBlog

Mesmo com atrasos e incerteza, São João reafirma status de maior festa cultural de Jussiape

Ohara Ravick se apresenta no palco do São João de Jussiape Foto: Will Assunção/JUP

Em 2017, a edição do São João de Jussiape foi atípica. O público acompanhou a chegada da época dos festejos juninos com um olhar apreensivo: de um lado, a incerteza de que haveria a festa; do outro, a demora na divulgação da programação, dos dias e das atrações que se apresentariam no palco este ano. O sufoco também acompanhou quem veio de fora para aproveitar as férias na cidade.

O tradicional Arraiá Fazenda do Gado, palco dos festejos juninos, na Praça Rodrigo Alves Teixeira, centro da cidade, foi ganhando vida timidamente até se transformar em um cenário rico em detalhes, fruto de uma ornamentação fiel às traições do Nordeste brasileiro. Horas antes da festa, o São João ganhou fôlego e o público se animou após encher os olhos com a caprichosa composição do Arraiá.

Arraiá Fazenda do Gado Foto: Will Assunção/JUP

Nas três noites dos festejos juninos o público enfrentou pequenas quedas na temperatura. O primeiro dia de festa foi marcado por um chuvisco intermitente e frio intenso. Já na segunda e última noite, os santos católicos conspiraram a favor do público e as temperaturas permaneceram amenas ao longo da festa.

Entre os dias 22 e 25, os termômetros registraram mínima de 15ºC e máxima de 26ºC. Durante o dia, o sol aparecia pouco e o céu permaneceu parcialmente nublado sem pancadas de chuva.

Em 2017, o público no Arraiá Fazenda do Gado não pôde prestigiar as tradicionais quadrilhas juninas, que retratam através da dança a cultura nordestina nos dias das festividades. Por meio de uma nota, a quadrilha Sacolejo, que tem representado o município desde 2013, informou que não iria se apresentar neste ano. Mas, o comunicado à imprensa não informou o motivo.

Grupo de forró Menina Forrozeira se apresenta no São João de Jussiape Foto: Will Assunção/JUP

Com horários flutuantes, o palco 2017 foi eclético e contou com ritmos como o baião de Luiz Gonzaga, transitando pelo forró dançante e animado de bandas dos anos 90 a hits do mainstream que vigora atualmente.

Pode-se dizer que o ponto alto da festa foi a apresentação do grupo de forró Menina Forrozeira, segunda atração a subir ao palco no domingo (26), que levou ao Arraiá Fazenda do Gado sucessos do forró. Entre um hit e outro, a ex-Limão com Mel Ohara Ravick, no comando dos vocais, levou o público à euforia.

Sob o encanto do inverno do sertão, pequenos grupos dissidentes de uma multidão que tomava a praça permaneceram até a última canção levada pela dupla Swing dos Manos com a mesma animação do início da festa.