Header Ads

LightBlog

Fotografia de jussiapense representando pescador ganha destaque em revista de turismo religioso


Foto de pescador ganha revista de turismo Foto: Will Assunção/Jussi Up Press

HISTÓRIA DA FOTO
A foto ‘Homem e Fé’, que retrata a história do pescador que encontrou a imagem de Nossa Senhora Aparecida, em 1717, nas águas do rio Paraíba do Sul, em São Paulo, ganhou destaque na edição de 2017 da revista da Unitur, agência de viagens dedicada a destinos religiosos de origem católica.

A imagem é de autoria do fotógrafo baiano Will Assunção, que já teve seus trabalhos expostos em galerias sobre a Chapada Diamantina, além de já ter seus registros publicados em importantes veículos de comunicação.

Assunção conta que a foto em destaque foi tirada para a agência de notícias Jussi Up Press, durante a tradicional festa de Nossa Senhora Aparecida, em 2016, em Jussiape.

A fotografia da peregrina segurada por um fiel que se dirigia à Igreja Matriz Nossa Senhora da Saúde, no centro da cidade, é um registro dos 300 anos que a imagem da Padroeira do Brasil foi encontrada.

A escolha pela foto do fiel com a figura da Padroeira nas mãos para ilustrar a publicação sobre destinos religiosos foi tratada diretamente com o autor da fotografia que diz ter ficado orgulhoso e imensamente satisfeito com o trabalho gráfico da equipe que produziu a revista. “Quando recebi a publicação junto a uma carta de agradecimento vi o quanto eles levam o trabalho do fotógrafo a sério e respeitam esse ofício que também é uma arte”, comenta Will Assunção

Foto de pescador ganha revista de turismo Foto: Will Assunção/Jussi Up Press

A CENA DE FÉ
Will conta sobre o instante em que a cena repleta de fé foi captada pelas suas lentes, quando disputava um lugar com diversos fiéis na Praça Rodrigo Alves Teixeira, em Jussiape, para fazer a foto. “O Sol já havia quase que se dissipado e o céu apresentava um azul límpido, então aproveitei o restante da luz e cliquei”, declara o fotógrafo.

Eloísio da Costa Silva, 43, o jussiapense que representou o pescador, diz ter se sento muito importante, “me senti muito importante mesmo”, expressou em entrevista à JUP. E completa dizendo que “quando fui chamado para representar o pescador eu pensei em Nossa Senhora Aparecida e senti tanta emoção que não teve explicação, acredita? E depois eu vejo que o Brasil todo está vendo a minha foto”, finaliza.

APARIÇÃO
Em 1717, três pescadores saíram para pescar em uma época escassa de peixes. Ao chegarem ao Porto Itaguaçu, no Rio Paraíba do Sul, em São Paulo, a primeira coisa que caiu em suas redes foi o corpo de uma imagem quebrada, na altura do pescoço. Num segundo lance de rede, pescaram a cabeça da mesma imagem. Juntando as duas partes viu-se que se tratava de uma imagem de Nossa Senhora da Conceição.

Após o encontro da imagem, a pesca de peixes foi farta e os pescadores intuíram a presença e ação de Deus naquele evento que chamaram de milagre. Por ter aparecido dessa forma, o povo a nomeou de “Aparecida”, nome consagrado pela devoção popular, chegando a ser proclamada Rainha, em 1904, e Padroeira do Brasil em 1930.